Choose a location

    Fruticulturas


    FRUTICULTURAS

      Doenças como míldio, sarna, sigatoka e do gênero Botrytis podem causar perdas significativas para a fruticultura. Por isso, é importante colocar em prática um manejo eficiente de controle utilizando soluções inovadoras e sustentáveis.  

      O míldio é uma importante doença para o cultivo de frutas e outras plantas cultivadas. A sua incidência é maior quando ocorrem temperaturas mais baixas e elevada umidade relativa do ar. O fungo do míldio sobrevive de um ano para o outro permanecendo ativo no ambiente sendo disseminado pelo vento, água e insetos. Assim, recomenda-se a eliminação de plantas infectadas e de restos de cultivos anteriores. Em situações mais severas, as flores e frutos podem ser afetados, o que provoca a perda da qualidade e produtividade de importantes culturas frutíferas como, por exemplo, a uva. Para o seu controle, recomenda-se o manejo preventivo: uma correta adubação, espaçamento adequado; controle cultural, biológico, e o uso de fungicidas químicos de alto desempenho para garantir a sanidade da fruticultura.

      A doença causada por Botrytis, conhecida como mofo cinzento, é uma outra doença que ocorre em diversos cultivos de frutas como maçã e uva. O fungo ocorre em diferentes fases de desenvolvimento das culturas e pode atacar com maior intensidade tanto as flores como os frutos. A sua incidência é mais frequente em regiões com alta umidade. Já a sarna merece maior destaque na cultura da maçã. Se o controle não for feito adequadamente, a doença pode causar grandes perdas. Para um manejo eficiente na n conheça também os herbicidas, inseticidas, reguladores de crescimento e os adjuvantes.  

      Confira as soluções BASF para a cultura de fruticultura

      ESPALHANTE ADESIVO

      Assist®
      Break Thru®

      Uso exclusivamente agrícola. Aplique somente as doses recomendadas. Descarte corretamente as embalagens e restos de produtos. Incluir outros métodos de controle do programa do Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponíveis e apropriados. Restrições temporárias no estado do Paraná: Cabrio® Top para Alternaria porri e Puccinia allii no alho; Caramba® 90 para Puccinia horiana para Crisântemo, Phaeoisariopsis griseola para Feijão, Uromyces appendiculatus para Feijão-vagem, Diplocarpon rosae para Rosa, Puccinia graminis para Trigo e Phakopsora pachyrhizi para Soja; Forum® Plus para Peronospora sparsa para Rosa; Imunit® para a cultura arroz; Polyram® DF para o alvo Alternaria porri no alho, Alternaria dauci na cenoura, Botryosphaeria dothidea na maçã, Pseudoperonospora cubensis para melancia e melão, Alternaria solani para o tomate; Verismo® para o alvo Grapholita molesta na maçã, Cryptoblades gnidiella na uva, Helicoverpa armígera na soja e no tomate; Opera® para Phakopsora pachyrhizi na soja, Septoria tritici no trigo. Registro MAPA: Acrobat® MZ nº 02605; Cabrio® Top nº 01303; Cantus® nº 07503; Caramba® 90 nº 01601; Collis® nº 01804; Delan® nº 01818604; Dormex® nº 001095; Fastac® 100 nº 002793; Forum® nº 01395; Forum® Plus nº 03502; Heat® nº 01013; Herbadox® 400 EC nº 015907; Imunit® nº 08806; Nomolt® 150 nº 01393; Opera® nº 08601; Orkestra® SC nº 08813; Pirate® nº 05898; Polyram® DF nº 01603; Regent® Duo nº 12411; Stroby® SC nº 03198; Versatilis® nº 001188593; Verismo® nº 18817; Break Thru® nº 003898 e Assist® nº 01938789.  

    TOP
    PROD-AEM