Usamos cookies de navegação neste site para garantir uma experiência mais personalizada e responsiva a você. Ao fazer uso, você também concorda com nossa Política de Privacidade de Dados. Saiba mais como cookies são utilizados ou como bloqueá-los ou deletá-los.

Brasil
Agricultura

Dormex® | Regulador de crescimento para quebra de dormência em frutas temperadas

Obtenha uma produção de qualidade. Com o regulador de crescimento Dormex® você assegura uma brotação uniforme e vigorosa do cultivo de maçã, uva e outras frutas.

As frutíferas de clima temperado são originárias de países que possuem inverno rigoroso, onde são cultivadas há centenas de anos. No Brasil elas são consideradas exóticas, pois foram introduzidas de outras regiões produtoras, logo torna-se necessário utilizar técnicas e ferramentas para a quebra de dormência e a uniformidade de brotação.

A deficiência na brotação interfere diretamente na produtividade e qualidade das principais frutas de clima temperado no Brasil.

Nesse cenário, a BASF oferece o regulador de crescimento Dormex®. A solução atua na quebra de dormência do cultivo da maçã, uva e outras frutíferas, contribuindo com uma brotação mais uniforme e vigorosa, melhorando e facilitando o manejo do pomar.

Dormex® é indicado para os cultivos da maçã, uva e pêssego. Ele deve ser diluído em água e aplicado por meio de pulverização sobre os ramos, cuidando para que todas as gemas da planta sejam atingidas. Os ramos devem ser bem cobertos pela calda de pulverização. Normalmente Dormex® é aplicado em plantas com ausência de folhas. As modalidades de aplicação recomendadas são através do pulverizador costal e tratorizado.

Dormex®

Benefícios

  • Brotação uniforme e vigorosa.
  • Função de quebra de dormência.
  • Antecipação e planejamento da produção escalonada.
  • Melhor padrão de qualidade das frutas.
  • Otimização da mão de obra.

Veja como melhorar a produtividade do seu cultivo com o Dormex®:

Para mais informações sobre a bula, clique aqui.

BR-cultura-da-maca.png

Utilize o regulador de crescimento Dormex® quando as gemas atingirem o estádio B (vide ilustração na tabela de dosagem). Adicionar 4% de óleo mineral emulsionável à calda de pulverização. Faça o tratamento uma única vez por ciclo da cultura.

Tabela de dosagem

Região
RS, SC e PR

DOSE
(0,8 - 1,0% v/v)

Volume de calda (L/HA)
-

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar quando as gemas atingirem o estádio B (vide ilustração na bula). Adicionar 4% de óleo mineral emulsionável na calda.

Região
RS, SC e PR

DOSE
Costal: 4,0 a 7,0 L/ha

Volume de calda (L/HA)
500 a 700

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar quando as gemas atingirem o estádio B (vide ilustração na bula). Adicionar 4% de óleo mineral emulsionável na calda.

Região
RS, SC e PR

DOSE
Tratonizada: 8,0 a 15,0 L/ha

Volume de calda (L/HA)
1000 a 1500

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar quando as gemas atingirem o estádio B (vide ilustração na bula). Adicionar 4% de óleo mineral emulsionável na calda.

Região
Demais regiões do Brasil

DOSE
(1,0 - 1,2% v/v)

Volume de calda (L/HA)
-

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar quando as gemas atingirem o estádio B (vide ilustração na bula). Adicionar 4% de óleo mineral emulsionável na calda.

Região
Demais regiões do Brasil

DOSE
Costal: 5,0 a 6,0 L/ha

Volume de calda (L/HA)
500

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar quando as gemas atingirem o estádio B (vide ilustração na bula). Adicionar 4% de óleo mineral emulsionável na calda.

Região
Demais regiões do Brasil

DOSE
Tratonizada: 10,0 a 12,0 L/ha

Volume de calda (L/HA)
1000

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar quando as gemas atingirem o estádio B (vide ilustração na bula). Adicionar 4% de óleo mineral emulsionável na calda.

BR-cultura-da-uva.png

Nas regiões produtoras de uva das regiões sul e sudeste pulverizar logo após a poda, quando as gemas ainda estiverem dormentes. Não acrescente óleo à calda, pois pode ocorrer injurias à cultura. É aconselhável a adição de um espalhante adesivo não iônico.

Nas demais regiões produtoras do Brasil pulverizar logo após a poda, quando as gemas ainda estiverem dormente. Não acrescentar óleo a calda de pulverização, pois pode ocorrer injurias à cultura. Recomendamos adicionar um espalhante não iônico.

Tabela de dosagem

Região
RS e SC

DOSE
(2 - 3% v/v)

Volume de calda (L/HA)
-

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar logo após a poda, quando as gemas ainda estão dormentes. Não deve ser acrescentado óleo via calda, devido ao risco de fitotoxidade; é conveniente a adição de um espalhante não iônico.

Região
RS e SC

DOSE
4,0 - 20,0 L/ha

Volume de calda (L/HA)
200 - 400

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar logo após a poda, quando as gemas ainda estão dormentes. Não deve ser acrescentado óleo via calda, devido ao risco de fitotoxidade; é conveniente a adição de um espalhante não iônico.

Região
RS e SC

DOSE
12,0 - 40,0 L/ha

Volume de calda (L/HA)
600 - 800

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar logo após a poda, quando as gemas ainda estão dormentes. Não deve ser acrescentado óleo via calda, devido ao risco de fitotoxidade; é conveniente a adição de um espalhante não iônico.

Região
Região Sudeste e PR

DOSE
(3 - 5% v/v)

Volume de calda (L/HA)
-

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar logo após a poda, quando as gemas ainda estão dormentes. Não deve ser acrescentado óleo via calda, devido ao risco de fitotoxidade; é conveniente a adição de um espalhante não iônico.

Região
Região Sudeste e PR

DOSE
3,0 - 5,0 L/ha

Volume de calda (L/HA)
200

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar logo após a poda, quando as gemas ainda estão dormentes. Não deve ser acrescentado óleo via calda, devido ao risco de fitotoxidade; é conveniente a adição de um espalhante não iônico.

Região
Região Sudeste e PR

DOSE
18,0 - 30,0 L/ha

Volume de calda (L/HA)
600

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar logo após a poda, quando as gemas ainda estão dormentes. Não deve ser acrescentado óleo via calda, devido ao risco de fitotoxidade; é conveniente a adição de um espalhante não iônico.

Região
Demais regiões do Brasil

DOSE
5 - 6% v/v

Volume de calda (L/HA)
-

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar logo após a poda, quando as gemas ainda estão dormentes. Não deve ser acrescentado óleo via calda, devido ao risco de fitotoxidade; é conveniente a adição de um espalhante não iônico.

Região
Demais regiões do Brasil

DOSE
10,0 - 12,0 L/ha

Volume de calda (L/HA)
200

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar logo após a poda, quando as gemas ainda estão dormentes. Não deve ser acrescentado óleo via calda, devido ao risco de fitotoxidade; é conveniente a adição de um espalhante não iônico.

Região
Demais regiões do Brasil

DOSE
30,0 - 36,0 L/ha

Volume de calda (L/HA)
600

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar logo após a poda, quando as gemas ainda estão dormentes. Não deve ser acrescentado óleo via calda, devido ao risco de fitotoxidade; é conveniente a adição de um espalhante não iônico.

Região
Demais regiões do Brasil

DOSE
6 - 7% v/v

Volume de calda (L/HA)
-

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar logo após a poda, quando as gemas ainda estão dormentes. Não deve ser acrescentado óleo via calda, devido ao risco de fitotoxidade; é conveniente a adição de um espalhante não iônico.

Região
Demais regiões do Brasil

DOSE
12 - 14,0 L/ha

Volume de calda (L/HA)
200

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar logo após a poda, quando as gemas ainda estão dormentes. Não deve ser acrescentado óleo via calda, devido ao risco de fitotoxidade; é conveniente a adição de um espalhante não iônico.

Região
Demais regiões do Brasil

DOSE
36,0 - 42,0 L/ha

Volume de calda (L/HA)
600

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar logo após a poda, quando as gemas ainda estão dormentes. Não deve ser acrescentado óleo via calda, devido ao risco de fitotoxidade; é conveniente a adição de um espalhante não iônico.

Faça o manejo no cultivo do pêssego entre 30 a 45 dias antes da época normal da brotação. As gemas devem estar no final do estádio A (vide ilustração na tabela de dosagem). Adicionar 1% de óleo mineral emulsionável à calda de pulverização.

DOSE
0,6 - 0,8% v/v

Volume de calda (L/HA)
-

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar entre 30 a 45 dias, antes da época normal da brotação. Quando as gemas estiverem no final do estádio A, (vide ilustração na bula) adicionar 1% de óleo mineral emulsionável.

DOSE
3,0 - 4,0 L/ha

Volume de calda (L/HA)
500

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar entre 30 a 45 dias, antes da época normal da brotação. Quando as gemas estiverem no final do estádio A, (vide ilustração na bula) adicionar 1% de óleo mineral emulsionável.

DOSE
6,0 - 8,0 L/ha

Volume de calda (L/HA)
1000

ÉPOCA DE APLICAÇÃO
Pulverizar entre 30 a 45 dias, antes da época normal da brotação. Quando as gemas estiverem no final do estádio A, (vide ilustração na bula) adicionar 1% de óleo mineral emulsionável.

Composição

Ingredientes ativos
Cianamida

Grupos químicos
Carbimidas

Concentração
520 g.i.a/Litro

Formulação
SL (Concentrado Solúvel)

Embalagem

10 x 1 L
1 x 20 L
1 x 200 L

SELO CROPLIFE

Uso exclusivamente agrícola Aplique somente as doses recomendadas. Descarte corretamente as embalagens e restos de produtos. Incluir outros métodos de controle dentro do programa do Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponíveis e apropriados. Registro MAPA: Dormex® nº 01095.

Conheça nossas soluções