Agricultura

Finale® | Bula e Informações do herbicida Glufosinato de Amônio

Controle de forma efetiva as plantas daninhas de difícil controle em diversas culturas com o herbicida Finale®

Plantas daninhas podem prejudicar as lavouras, diminuindo de maneira significativa a qualidade do cultivo e a produtividade. Pensando no equilíbrio entre eficácia deste controle e a velocidade de ação apresentamos o Finale®, um herbicida multicultura.

Este produto contém Glufosinato de Amônio, Finale® é um herbicida de contato, não-seletivo que possui um amplo espectro de controle sobre as plantas daninhas. E uma das grandes vantagens é que ele pode ser misturado com glifosato. Isto quer dizer que o mecanismo de ação do Finale® herbicida é diferenciado. Além disso, a dessecação e controle completo das plantas daninhas se dá em apenas 1 ou 2 semanas.

Informações Técnicas

Faça o download da bula, ficha de segurança e ficha de informação de segurança do produto para mais informações.

Benefícios Finale®

  • Produto multicultura
  • Amplo espectro de ação em plantas daninhas
  • Mecanismo de ação diferenciado: Nenhum caso de resistência natural no mundo
  • Controle de gramíneas e folhas largas em fases iniciais
  • Compatível em misturas com glifosato
  • Pode ser utilizado em aplicações aéreas

Principais culturas que protege

Veja para que culturas o Finale® pode ser aplicado 

Principais plantas daninhas que Finale® controla

Conheça mais sobre as plantas daninhas que são foco para o herbicidas Finale®

Culturas, Doenças e Doses

Alvos Biológicos

Estádio das 

plantas daninhas

Dose Produto 

Comercial (L/ha) 

Volume de calda

(L/ha)

Capim-marmelada (Brachiaria plantaginea) Até 2 perfilhos 2,5 + 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral Terrestre: 350
Capim-colchão (Digitaria sanguinalis) Até 2 perfilhos 2,5 + 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral Terrestre: 350
Amendoim-bravo (Euphorbia heterophylla)

2 a 6 folhas

2,5 + 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral Terrestre: 350
Nabo (Raphanus raphanistrum)

2 a 6 folhas

2,5 + 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral Terrestre: 350
Picão-preto (Bidens pilosa)

2 a 6 folhas

2,5 + 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral Terrestre: 350
Poaia (Richardia brasiliensis)

2 a 6 folhas

2,5 + 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral  Terrestre: 350
Caruru (Amaranthus viridis) 2 a 6 folhas 2,5 + 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral Terrestre: 350
Beldroega (Portulaca oleracea) 2 a 6 folhas 2,5 + 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral Terrestre: 350
Trapoeraba (Commelina benghalensis) 2 a 4 folhas 2,5 + 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral  Terrestre: 350
Trigo (Triticum aestivum) Até 2 perfilhos 3,0 + 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral Terrestre: 350
Aveia (Avena sativa) Até 2 perfilhos 3,0 + 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral  Terrestre: 350
Cevada (Hordeum vulgare) Até 2 perfilhos 3,0 + 0,2%v/v de óleo vegetal ou mineral  Terrestre: 350
Azevém (Lolium multiflorum Até 2 perfilhos 3,0 + 0,2%v/v de óleo vegetal ou mineral  Terrestre: 350
Centeio (Secale cereale) Até 2 perfilhos 3,0 + 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral  Terrestre: 350
Triticale (Triticum secale) Até 2 perfilhos 3,0 + 0,2%v/v de óleo vegetal ou mineral  Terrestre: 350
Capim-amargoso (Digitaria insularis) Até 3 perfilhos 2,5 a 3,0 + 0,2%v/v de óleo vegetal ou mineral  Terrestre: 350
Capim-carrapicho (Cenchrus echinatus) Até 3 perfilhos 2,5 a 3,0 + 0,2%v/v de óleo vegetal ou mineral  Terrestre: 350
Capim-camalote (Rotboellia exaltata) Até 3 perfilhos 2,5 a 3,0 + 0,2%v/v de óleo vegetal ou mineral  Terrestre: 350
Carrapicho-de-carneiro (Acanthospermum hispidum) Até 4 folhas 2,5 a 3,0 + 0,2%v/v de óleo vegetal ou mineral  Terrestre: 350
Erva-quente (Spermacoce latifolia) Até 8 folhas 2,5 a 3,0 + 0,2%v/v de óleo vegetal ou mineral  Terrestre: 350
Buva (Conyza bonariensis) Até 8 folhas 2,5 a 3,0 + 0,2%v/v de óleo vegetal ou mineral  Terrestre: 350

Uso para dessecação pré-colheita

N/A 1,5 a 2,0 

Terrestre: 100 - 150 

Aérea: 30 - 40

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

  • Aplicar na dessecação pré-semeadura do cultivo da soja em área total.
  • Adicionar 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral;
  • As aplicações devem ser feitas quando as plantas daninhas se apresentarem em plena atividade de crescimento vegetativo e nas condições recomendadas;
  • Recomenda-se uma única aplicação por ciclo da cultura.
Tipo de Uso

Dose Produto 

Comercial (L/ha) 

Volume de calda

(L/ha)

Uso para dessecação pré-colheita

1,5 a 2,0 

Terrestre: 100 - 150 

Aérea: 30 - 40

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

  • Adicionar 0,5 L/ha de óleo vegetal ou mineral, não ultrapassar essa dose.
  • Dessecação de soja destinada à grãos: realizar aplicação quando as plantas estivem no estágio fenológico 7.2 (plantas apresentando 50 a 75% de folhas e vagens amarelas). Sempre observar a uniformidade do estádio das plantas, ramos secos e maduros. Para confirmar estádio fenológico, retirar as plantas do solo e observar se no sistema radicular, os nódulos fixadores de nitrogênio se apresentam escuros e com cheiro forte, indicando o final do ciclo. Respeitar o intervalo de 8 dias antes da colheita.
  • Dessecação de soja destinada à sementes: realizar aplicação quando as plantas estivem no estágio fenológico 7.3 (quando as plantas apresentarem 75% ou mais de folhas e vagens amarelas), quando o cultivo se apresentar c o m as sementes fisiologicamente maduras e com umidade das sementes em torno de 50%. Também deve ser observado a uniformidade da área e a maturação dos ramos. Se houver desuniformidade com presença de ramos verdes, deve-se aguardar até que pelo menos 95% das plantas se apresentem no estádio descrito. Para confirmar estádio fenológico, retirar as plantas do solo e observar se no sistema radicular, os nódulos fixadores de nitrogênio se apresentam escuros e com cheiro forte, indicando o final do ciclo.
  • Respeitar o intervalo de 8 dias antes da colheita.
  • Recomenda-se uma única aplicação por ciclo da cultura.

Alvos Biológicos

Estádio das 

plantas daninhas

Dose Produto 

Comercial (L/ha) 

Volume de calda

(L/ha)

Capim-colchão (Digitaria sanguinalis) Até 1 perfilho 1,5 a 2,0 Terrestre: 350
Capim-marmelada (Brachiaria plantaginea) 2 a 4 folhas 1,5 a 2,0 Terrestre: 350
Picão-preto (Bidens pilosa) 2 a 4 folhas 1,5 a 2,0 Terrestre: 350
Amendoim-bravo (Euphorbia heterophylla) 2 a 4 folhas 1,5 a 2,0 Terrestre: 350
Trapoeraba (Commelina benghalensis) 2 a 4 folhas 1,5 a 2,0 Terrestre: 350
Carrapicho-de-carneiro (Acanthospermum hispidum) 2 a 4 folhas 1,5 a 2,0 Terrestre: 350
Caruru (Amaranthus viridis) 2 a 4 folhas 1,5 a 2,0 Terrestre: 350
Guanxuma (Sida rhombifolia) 2 a 4 folhas 1,5 a 2,0 Terrestre: 350
Corda-de-viola (Ipomoea aristolochiaefolia) 2 a 4 folhas 1,5 a 2,0 Terrestre: 350
Carrapicho-rasteiro (Acanthospermum australe) 2 a 4 folhas 1,5 a 2,0 Terrestre: 350
Beldroega (Portulaca oleracea) 2 a 4 folhas 1,5 a 2,0 Terrestre: 350
Malva-branca (Sida cordifolia) 2 a 4 folhas 1,5 a 2,0 Terrestre: 350

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

  • Aplicar em jato dirigido nas entrelinhas da cultura.
  • Utilizar a maior dose quando houver maior incidência de gramíneas.
  • Adicionar 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral;
  • Recomenda-se uma única aplicação por ciclo da cultura.
Alvos Biológicos

Estádio das 

plantas daninhas

Dose Produto 

Comercial (L/ha) 

Volume de calda

(L/ha)

Capim-pé-de-galinha (Eleusine indica) 1 a 4 perfilhos 2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aéreo: 30 - 40 

Capim-carrapicho (Cenchrus echinatus) 1 a 4 perfilhos 2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aéreo: 30 - 40 

Capim-amargoso (Digitaria insularis) 1 a 4 perfilhos 2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aéreo: 30 - 40 

Capim-marmelada (Brachiaria plantaginea) 1 a 4 perfilhos 2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aéreo: 30 - 40 

Caruru-roxo (Amaranthus hybridus) 2 a 4 folhas 2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aéreo: 30 - 40 

Picão-preto (Bidens pilosa) 2 a 4 folhas 2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aéreo: 30 - 40 

Leiteiro (Euphorbia heterophylla) 2 a 4 folhas 2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aéreo: 30 - 40 

Buva (Conyza sp) 2 a 4 folhas 2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aéreo: 30 - 40 

Corda-de-viola (Ipomoea triloba) 2 a 4 folhas 2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aéreo: 30 - 40 

Trapoeraba (Commelina benghalensis) 2 a 4 folhas 2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aéreo: 30 - 40 

Soja (Glycine max) 2 a 4 folhas 2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aéreo: 30 - 40 

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

  • Aplicar na dessecação pré-semeadura do cultivo do milho em área total. Utilizar a maior dose quando houver maior incidência de gramíneas.
  • Adicionar 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral;
  • Recomenda-se uma única aplicação por ciclo da cultura.

Alvos Biológicos

Estádio das

plantas daninhas

Dose Produto

Comercial (L/ha)

Volume de calda

(L/ha)

Caruru (Amaranthus viridis)

2 a 4 folhas

2,0
Terrestre: 350

Picão-preto (Bidens pilosa)

2 a 4 folhas

2,0 Terrestre: 350

Guanxuma (Sida rhombifolia)

2 a 4 folhas

2,0 Terrestre: 350

Beldroega (Portulaca oleracea)

2 a 4 folhas

2,0 Terrestre: 350

Nabiça (Raphanus raphanistrum)

2 a 4 folhas

2,0 Terrestre: 350

Carrapicho-rasteiro (Acanthospermum

australe)

2 a 4 folhas

2,0 Terrestre: 350
Erva-quente (Spermacoce alata) 2 a 4 folhas 2,0 Terrestre: 350
Capim-colchão (Digitaria sanguinalis) Até 1 perfilho 2,0  Terrestre: 350
Capim-carrapicho (Cenchrus echinatus) Até 1 perfilho 2,0 Terrestre: 350

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

  • Para controle das plantas daninhas: realizar a aplicação na fase de “crackingtiming” (compreende a fase de rachamento do solo, antes da emergência da cultura);
  • Adicionar óleo vegetal ou mineral a 0,2% v/v.
  • As aplicações devem ser feitas quando as plantas daninhas se apresentarem em plena atividade de crescimento vegetativo e nas condições recomendadas;
  • Recomenda-se uma única aplicação por ciclo da cultura.
Tipo de Uso

Dose Produto

Comercial (L/ha)

Volume de calda

(L/ha)

Uso para dessecação das ramas da Batata

2,0 Terrestre: 350

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

  • Para dessecação de “batata consumo” sobre as ramas da cultura, 10 dias antes da colheita.
  • Adicionar 0,2% v/v (0,7 L/ha) de óleo vegetal ou mineral;
  • Trapoeraba, picão-preto e guanxuma-branca com 10 a 20 cm de altura, também são dessecadas pelo produto, caso ocorram na área. Recomenda-se uma única aplicação por ciclo da cultura.

Tipo de Uso

Estádio da cultura

Dose Produto Comercial (L/ha)

Volume de calda

(L/ha)

Uso para dessecação em feijão de consumo

50% das

vagens

secas

1,8

Terrestre:

350

Aérea:

30 - 40

Uso para dessecação em feijão para sementes

70% das

vagens

secas

2,0

Terrestre:

350

Aérea:

30 - 40

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO 

  • Adicionar 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral;
  • Recomenda-se uma única aplicação por ciclo da cultura.
Alvos Biológicos

Estádio da cultura

Dose Produto Comercial (L/ha)

Volume de calda

(L/ha)

Capim-marmelada (Brachiaria plantaginea)

1 a 4 perfilhos

2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aérea: 30 - 40

Capim-amargoso (Digitaria insularis)

1 a 4 perfilhos

2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aérea: 30 - 40

Capim-carrapicho (Cenchrus echinatus) 1 a 4 perfilhos 2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aérea: 30 - 40

Capim-pé-de-galinha (Eleusine indica) 1 a 4 perfilhos 2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aérea: 30 - 40

Leiteiro (Euphorbia heterophylla) 2 a 4 folhas 2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aérea: 30 - 40

Picão-preto (Bidens pilosa) 2 a 4 folhas 2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aérea: 30 - 40

Corda-de-viola (Ipomoea triloba) 2 a 4 folhas 2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aérea: 30 - 40

Caruru-roxo (Amaranthus hybridus) 2 a 4 folhas 2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aérea: 30 - 40

Trapoeraba (Commelina benghalensis) 2 a 4 folhas 2,0 a 3,0

Terrestre: 100 - 150

Aérea: 30 - 40

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO 

  • Aplicar na dessecação pré-semeadura do cultivo do feijão em área total.
  • Adicionar 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral;
  • As aplicações devem ser feitas quando as plantas daninhas se apresentarem em plena atividade de crescimento vegetativo e nas condições recomendadas;
  • Recomenda-se uma única aplicação por ciclo da cultura.

Alvos Biológicos

Estádio das

plantas daninhas

Dose Produto

Comercial (L/ha)

Volume de calda

(L/ha)

Capim-carrapicho (Cenchrus echinatus)

Até 1 perfilho

2,0 350

Capim-pé-de-galinha (Eleusine indica)

Até 1 perfilho

2,0 350

Capim-colchão (Digitaria sanguinalis)

Até 1 perfilho

2,0 350

Arroz (Oryza sativa)

Até 1 perfilho

2,0

350
Picão-preto (Bidens pilosa)

2 a 4 folhas

2,0 350

Guanxuma (Sida cordifolia)

2 a 4 folhas

2,0 350

Erva-quente (Spermacoce alata)

2 a 4 folhas

2,0 350

Soja (Glycine max)

2 a 4 folhas

2,0  350

Caruru (Amaranthus viridis)

2 a 4 folhas

2,0

350

Buva (Conyza bonariensis)

2 a 4 folhas

1,5 a 2,0 200

Capim-amargoso (Digitaria insularis)

Até 1 perfilho

2,0 200

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

  • Aplicar na dessecação pré-semeadura do cultivo do trigo em área total. A cultura deve ser semeada 7 dias após a aplicação do produto.
  • Adicionar 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral no volume de calda de 350 L/ha; Adicionar 0,5% v/v de óleo vegetal ou mineral no volume de calda de 200 L/ha;
  • As aplicações devem ser feitas quando as plantas daninhas se apresentarem em plena atividade de crescimento vegetativo e nas condições recomendadas;
  • Recomenda-se uma única aplicação por ciclo da cultura.
Tipo de Uso

Estádio das plantas daninhas

Dose Produto

Comercial (L/ha)

Volume de calda

(L/ha)

Uso para dessecação pré-colheita

Grãos de trigo amarelos/massa molea grãos dourados/massa dura 

1,75 Terrestre: 200

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

  • Aplicar o produto na dessecação pré-colheita do trigo.
  • Realizar a aplicação a partir do estádio de desenvolvimento em que os grãos de trigo estiverem amarelos e fisiologicamente maduros (estágio GS 87) grãos dourados (massa dura).
  • Adicionar 0,25% v/v de óleo vegetal ou mineral;
  • Recomenda-se uma única aplicação por ciclo da cultura.

Alvos Biológicos

Estádio das

plantas daninhas/culturas

Dose Produto

Comercial (L/ha)

Volume de calda

(L/ha)

Capim-marmelada (Brachiaria plantaginea)

Até 1 perfilho

2,0
Terrestre: 350

Capim-colchão (Digitaria horizontalis)

Até 1 perfilho

2,0
Terrestre: 350

Azevém (Lolium multiflorum)

Até 1 perfilho 

2,0
Terrestre: 350

Língua-de-vaca (Rumex obtusifolius)

2 a 4 folhas

2,0
Terrestre: 350

Picão-preto (Bidens pilosa)

2 a 4 folhas

2,0
Terrestre: 350

Nabo (Raphanus raphanistrum)

2 a 4 folhas

2,0 
Terrestre: 350

Serralha (Sonchus oleraceus)

2 a 4 folhas 2,0 Terrestre: 350

Losna-branca (Parthenium hysterophorus)

2 a 4 folhas

2,0 Terrestre: 350

Beldroega (Portulaca oleracea)

2 a 4 folhas

2,0  Terrestre: 350

Picão-branco (Galinsoga parviflora)

2 a 4 folhas

2,0  Terrestre: 350

Maria-mole (Senecio brasiliensis)

2 a 4 folhas

2,0  Terrestre: 350
Guanxuma (Sida rhombifolia)

2 a 4 folhas

2,0 Terrestre: 350

Poaia (Richardia brasiliensis)

2 a 4 folhas

2,0 Terrestre: 350
Trevo (Oxalis oxyptera)

2 a 4 folhas

2,0 Terrestre: 350

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO 

  • Dirigir a aplicação na linha da cultura adulta, sem atingi-la.
  • Adicionar 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral;
  • As aplicações devem ser feitas quando as plantas daninhas se apresentarem em plena atividade de crescimento vegetativo e nas condições recomendadas;
  • Recomenda-se uma única aplicação por ciclo da cultura.

Alvos Biológicos

Estádio das

plantas daninhas

Dose Produto

Comercial (L/ha)

Volume de calda

(L/ha)

Capim-marmelada (Brachiaria plantaginea)

Até 1 perfilho

2,0
Terrestre: 350
Picão-branco (Galinsoga parviflora)

2 a 4 folhas

2,0 Terrestre: 350
Caruru (Amaranthus viridis)

2 a 4 folhas

2,0 Terrestre: 350

Picão-preto (Bidens pilosa)

2 a 4 folhas

2,0 Terrestre: 350

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO 

  • Aplicar em jato dirigido na linha da cultura, evitando atingir o caule da planta.
  • Adicionar 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral;
  • As aplicações devem ser feitas quando as plantas daninhas se apresentarem em plena atividade de crescimento vegetativo e nas condições recomendadas;
  • Recomenda-se uma única aplicação por ciclo da cultura.

Alvos Biológicos

Estádio das

plantas daninhas

Dose Produto

Comercial (L/ha)

Volume de calda

(L/ha)

Trapoeraba (Commelina benghalensis) Até 4 folhas 2,0 Terrestre: 350
Picão-preto (Bidens pilosa) Até 4 folhas 2,0 Terrestre: 350
Buva (Conyza bonariensis) Até 4 folhas 2,0 Terrestre: 350
Macela-branca (Gnaphalium spicatum) Até 4 folhas 2,0 Terrestre: 350
Mentrasto (Ageratum conyzoides) Até 4 folhas 2,0 Terrestre: 350
Caruru (Amaranthus viridis) Até 4 folhas 2,0  Terrestre: 350
Beldroega (Portulaca oleracea) Até 4 folhas 2,0 Terrestre: 350
Guanxuma (Sida rhombifolia) Até 6 folhas 3,0 Terrestre: 450
Guanxuma-branca (Sida glaziovii) 2 a 4 folhas 2,0 Terrestre: 500
Capim-marmelada (Brachiaria plantaginea) Até 2 perfilhos 2,5 Terrestre: 450
Capim-colchão (Digitaria horizontalis) Até 2 perfilhos 2,5 Terrestre: 450

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO 

  • Aplicar em cafeeiros adultos, em jato dirigido na linha da cultura, no período vegetativo de novembro a abril.
  • Adicionar 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral no volume de calda de 350 L/ha; 
  • Adicionar 0,25% v/v de óleo vegetal ou mineral no volume de calda de 500 L/ha; 
  • Adicionar 0,4% v/v de óleo vegetal ou mineral no volume de calda de 450 L/ha;
  • As aplicações devem ser feitas quando as plantas daninhas se apresentarem em plena atividade de crescimento vegetativo e nas condições recomendadas;
  • Recomenda-se até três aplicação por safra de produção.
  • Para mais de uma aplicação, recomenda-se utilizar doses de até o máximo de 2,25 L/ha, com intervalo de 25 dias.

Alvos Biológicos

Estádio das

plantas daninhas/culturas

Dose Produto

Comercial (L/ha)

Volume de calda

(L/ha)

Capim-marmelada (Brachiaria plantaginea) Até 1 perfilho 2,0
Terrestre: 350
Capim-colchão (Digitaria horizontalis e Digitaria sanguinalis) Até 1 perfilho 2,0 
Terrestre: 350
Capim-amargoso (Digitaria insularis) Até 1 perfilho 2,0 
Terrestre: 350
Capim-carrapicho (Cenchrus echinatus) Até 1 perfilho 2,0 
Terrestre: 350
Capim-pé-de-galinha (Eleusine indica) Até 1 perfilho 2,0 
Terrestre: 350
Guanxuma (Sida rhombifolia) Até 4 folhas 2,0 
Terrestre: 350
Carrapicho-decarneiro (Acanthospermum hispidum)
Até 4 folhas 2,0  Terrestre: 350
Picão-preto (Bidens pilosa) Até 4 folhas 2,0 Terrestre: 350
Amendoim-bravo (Euphorbia heterophylla) Até 4 folhas 2,0  Terrestre: 350
Trapoeraba (Commelina benghalensis) Até 4 folhas 2,0  Terrestre: 350
Maria-gorda (Talinum paniculatum) Até 4 folhas 2,0  Terrestre: 350
Falsa-serralha (Emilia sonchifolia) Até 4 folhas 2,0  Terrestre: 350
Malva-branca (Sida cordifolia) Até 4 folhas 2,0  Terrestre: 350

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO 

  • Pode ser aplicado no sistema de coroamento e na linha de plantio (jato dirigido) sem atingir a cultura.
  • Adicionar 0,2% v/v de óleo vegetal;
  • As aplicações devem ser feitas quando as plantas daninhas se apresentarem em plena atividade de crescimento vegetativo e nas condições recomendadas;
  • Recomenda-se uma única aplicação por ciclo da cultura.

Alvos Biológicos

Estádio das

plantas daninhas/culturas

Dose Produto

Comercial (L/ha)

Volume de calda

(L/ha)

Samambaia (Pteridium aquilinum) Até 8 folhas  2,0  Terrestre: 350
Capim-gordura (Melinis minutiflora) Até 8 folhas 

4,0  Terrestre: 350
Erva-quente (Spermacoce alata) Até 8 folhas   4,0 Terrestre: 350
Cambará (Lantana camara) Até 8 folhas   4,0  Terrestre: 350
Guanxuma (Sida rhombifolia) Até 8 folhas   4,0  Terrestre: 350
Falsa-serralha (Emilia sonchifolia) Até 8 folhas   4,0 Terrestre: 350
Serralha (Sonchus oleraceus) Até 8 folhas   4,0 Terrestre: 350
Buva (Conyza bonariensis) Até 8 folhas   4,0 Terrestre: 350
Unha-de-vaca  (Bauhinia variegata) Até 8 folhas   4,0 Terrestre: 350
Arranha-gato (Acacia plumosa) Até 8 folhas   4,0 Terrestre: 350
Jurubeba (Solanum paniculatum) Até 8 folhas   4,0  Terrestre: 350
Capim-colonião (Panicum maximum) Até 8 folhas   4,0  Terrestre: 350
Vassourinha-botão (Spermacoce verticillata) Até 8 folhas   4,0 Terrestre: 350
Trapoeraba (Commelina benghalensis) Até 8 folhas   4,0 Terrestre: 350
Gervão (Stachytarpheta cayennensis) Até 8 folhas   4,0 Terrestre: 350

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO 

  • Aplicar em jato dirigido, nas entrelinhas da cultura.
  • Adicionar 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral;
  • As aplicações devem ser feitas quando as plantas daninhas se apresentarem em plena atividade de crescimento vegetativo e nas condições recomendadas;
  • Recomenda-se uma única aplicação por ciclo da cultura.
Tipo de Uso

Estádio das plantas daninhas

Dose Produto

Comercial (L/ha)

Volume de calda

(L/ha)

Controle do Broto ladrão

1,5 a 2,0 m de altura

2,0 Terrestre: 350

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO 

  • Aplicar em jato dirigido, nas entrelinhas da cultura.
  • Adicionar 0,2% v/v de óleo vegetal ou mineral;
  • Recomenda-se uma única aplicação por ciclo da cultura.

Composição

Ingredientes Ativos Grupos Químicos Classificação toxicológica Formulação
Ammonium Homoalanina substituída Classe III Concentrado Solúvel (SL)

Instruções de uso

Finale® é um herbicida não seletivo do grupo homoalanina substituída que controla eficientemente, plantas daninhas em pós-emergência, sendo a aplicação em jato dirigido nas culturas: açaí, alface, algodão, ameixa, banana, batata, café, castanha-do-pará, citros, coco, dendê, eucalipto, maçã, milho, nectarina, nêspera, pera, pêssego, pinhão, pupunha, repolho, soja, trigo e uva; em aplicações de dessecação pré-semeadura, no sistema de plantio direto das culturas: feijão, milho, soja e trigo; em aplicações na pós-emergência do algodão LibertyLink® e é eficiente na dessecação pré-colheita das culturas: batata, cana-de-açúcar, cevada, feijão, soja, trigo e triticale.

Preparo de Calda: Para o preparo da calda, deve-se utilizar água de boa qualidade, livre de coloides em suspensão (terra, argila ou matéria orgânica), a presença destes pode reduzir a eficácia do produto; o equipamento de pulverização a ser utilizado para a aplicação do Finale® deve estar limpo de resíduos de outro defensivo. Preencher o tanque do pulverizador com água até a metade de sua capacidade, inserir a dose recomendada do Finale®, acrescentar óleo vegetal ou mineral na proporção recomendada para o cultivo/alvo, completar a capacidade do reservatório do pulverizador com água, mantendo sempre o sistema em agitação e retorno ligado durante todo o processo de preparo e pulverização para manter homogênea a calda de pulverização. Prepare apenas a quantidade de calda necessária para completar o tanque de aplicação, pulverizando logo após sua preparação. Na ocorrência de algum imprevisto que interrompa a agitação da calda, agitá-la vigorosamente antes de reiniciar a aplicação.

 

Informações sobre os equipamentos de aplicação a serem usados:

 

Aplicação Terrestre: Seguir as recomendações abaixo para uma correta aplicação:

  • Equipamentos Costais (manuais ou motorizados):

Utilizar pulverizador costal dotado de ponta de pulverização do tipo leque (jato plano), calibrando de forma a proporcionar perfeita cobertura com tamanho de gota média a grossa e direcionando para o alvo desejado. Observar para que não ocorram sobreposições nem deriva por movimentos não planejados pelo operador.

Para as hortaliças (alface e repolho), evitar que o produto tenha contato com a cultura, utilizar o “sistema de copinhos” cobrindo as mudinhas com copinho plástico, para protegê-las da ação herbicida do produto.

  • Pulverizadores de Barra:

Utilizar pulverizadores tratorizados de barra ou autopropelidos, com pontas de pulverização hidráulicas, adotando o espaçamento entre pontas e altura da barra com relação ao alvo recomendados pelo fabricante das pontas. Certificar-se que a altura da barra é a mesma com relação ao alvo em toda sua extensão, devendo esta altura ser adequada ao estádio de desenvolvimento da cultura de forma a permitir uma perfeita cobertura das plantas.

O equipamento deve ser regulado e calibrado de forma a produzir espectro de gotas médias a grossas.

  • Jato Dirigido:

Utilizar pulverizador costal, autopropelido ou tratorizado de barra, dotado de ponta do tipo leque (jato plano) dirigido à entrelinha, sobre as plantas daninhas, adotando o espaçamento entre pontas e altura da barra com relação ao alvo que permita uma perfeita cobertura das plantas daninhas, sem atingir a cultura. Certificar-se que a altura da barra é a mesma com relação ao alvo em toda sua extensão. O equipamento deve ser regulado e calibrado de forma a produzir espectro de gotas médias a grossas.

 

Aplicação Aérea:

Utilizar aeronaves agrícolas equipadas com pontas rotativas ou barras com pontas hidráulicas de acordo com a vazão calculada ou recomendada pelo fabricante dos mesmos, devendo ser considerado o tamanho do orifício das pontas, o ângulo de inclinação (em graus), a pressão (PSI) e a velocidade de voo (km/h), que permita a liberação e deposição de uma densidade mínima de 40 gotas/cm² e uma cobertura de pulverização uniforme, adotando classe de gotas que variam de média a grossa. Recomenda-se o volume de 30-40 L/ha de calda, altura média de voo de 3 metros da cultura alvo e largura de faixa de deposição efetiva de 15-18 metros (de acordo com a aeronave utilizada).

  • Utilize pontas e pressão adequadas para produzir uma cobertura de pulverização uniforme com tamanhos de gotas de média a grossa;
  • Condições diferentes das ideais devem ser avaliadas pelo técnico responsável pela aplicação;
  • Não aplicar este produto utilizando sistema eletrostático;
  • Para a aplicação aérea, a distância entre as pontas na barra não deve exceder 75% do comprimento do diâmetro do rotor (ou envergadura), preferencialmente utilizar 65% do comprimento do diâmetro do rotor (ou envergadura) no limite da bordadura.

 

 

Cultura Dias
Soja (dessecante) 08
Soja (pós-emergência) 10
Milho Não determinado devido à modalidade de emprego
Batata 10
Trigo (dessecante) 07
Trigo (pós-emergência) Não determinado devido à modalidade de emprego
Feijão (dessecante) 05
Feijão (pré-plantio) Não determinado devido à modalidade de emprego
Café 20
Maçã 07
Citros 40
Uva 07
Eucalipto U.N.A.

U.N.A. - Uso Não Alimentar

  • Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
  • O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas, rações ou outros materiais.
  • A construção deve ser de alvenaria ou de material não combustível.
  • O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
  • Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
  • Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
  • Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados.
  • Em caso de armazéns deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843 da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT -1 (Parte 1: Armazenamento em armazéns industriais, armazéns gerais ou centros de distribuição), demais casos, consultar a parte específica da norma (Parte 2: Armazenamento comercial em distribuidores e cooperativas; Parte 3: Armazenamento em propriedades rurais ou Parte 4: Armazenamento em laboratórios).
  • Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

  • Produto para uso exclusivamente agrícola.
  • O manuseio do produto deve ser realizado apenas por trabalhador capacitado.
  • Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto.
  • Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.
  • Não manuseie ou aplique o produto sem os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) recomendados.
  • Não utilize equipamentos com vazamentos ou defeitos e não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca.
  • Não utilize Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) danificados, úmidos, vencidos ou com vida útil fora da especificação. Siga as recomendações determinadas pelo fabricante.
  • Não aplique o produto perto de escolas, residências e outros locais de permanência de pessoas e áreas de criação de animais. Siga as orientações técnicas específicas de um profissional habilitado.
  • Caso ocorra contato acidental da pessoa com o produto, siga as orientações descritas em primeiros socorros e procure rapidamente um serviço médico de emergência.
  • Mantenha o produto adequadamente fechado, em sua embalagem original, em local trancado, longe do alcance de crianças e animais.
  • Os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) recomendados devem ser vestidos na seguinte ordem: calça, jaleco, botas, avental, respirador, viseira facial ou óculos, touca árabe e luvas de nitrila.
  • Seguir as recomendações do fabricante do Equipamento de Proteção Individual (EPI) com relação à forma de limpeza, conservação e descarte de EPI danificado.

Conheça mais sobre o Finale®

Finale-genericos-diferencas-de-performance.jpeg

Finale® x Genéricos | Diferenças de performance

CAPA-FINALE.jpeg

Finale® | Tecnologia no manejo de colheita de cana-de-açúcar

Finale-eficiente-no-controle-de-plantas-daninhas.jpeg

Finale® - eficiente no controle de plantas daninhas

Encontre um distribuidor próximo

Acesse a lista de distribuidores

Conheça nossos serviços BASF

ATENÇÃO: ESTE PRODUTO É PERIGOSO À SAÚDE HUMANA, ANIMAL E AO MEIO AMBIENTE. USO AGRÍCOLA. VENDA SOB RECEITUÁRIO AGRONÔMICO. CONSULTE SEMPRE UM AGRÔNOMO. INFORME-SE E REALIZE O MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS. DESCARTE CORRETAMENTE AS EMBALAGENS E OS RESTOS DOS PRODUTOS. LEIA ATENTAMENTE E INSTRUÇÕES CONTIDAS NO RÓTULO, NA BULA E NA RECEITA. UTILIZE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL.

A Ficha de Emergência (FET) acompanha os produtos durante o processo de transporte.

Em caso de dúvidas, ligue 0800 011 2273.