Brasil
Agricultura

Cultura do Arroz: Veja como ter uma safra produtiva

Nesta página, você vai encontrar informações para realizar o melhor manejo da sua lavoura de arroz. Aqui, vamos oferecer dicas com as melhores épocas para a semeadura, colheita e como proteger sua cultura da aparição de plantas daninhas, tal qual o Arroz-vermelho (Oryza sativa L.) e o Capim-arroz (Echinochloa crusgalli), além de controlar o surgimento de outras pragas e doenças capazes de atingir a rizicultura. 

Fale Conosco

Para saber mais onde comprar os produtos e quais os mais recomendados para sua cultura e características, consulte nosso distribuidor mais próximo.

Considerado o principal alimento de mais da metade da população global, o arroz (Oryza sativa) também é o terceiro cereal mais produzido mundialmente, perdendo apenas para o milho e o trigo. A China é tida universalmente como a maior produtora do alimento. Em seguida vêm os Estados Unidos e a Índia. O Brasil encontra-se em quarto lugar na lista, de acordo com o último levantamento feito pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Introduzido nas nossas terras por Pedro Álvares Cabral, ao longo dos anos, muitas regiões nacionais se tornaram referência no segmento, como Rio Grande do Sul e Santa Catarina, ambos por conta dos sistemas irrigados presentes nos territórios. 

A plantação de arroz é feita por agricultores de formas diferentes, cada uma exigindo um nível tecnológico e características específicas. E sabendo da importância do cereal para o nosso país, é necessário entender todo o processo de produção e, principalmente, o que pode ser feito para protegê-lo.

Portfólio

O portifólio completo da BASF para a cultura de arroz, possibilita um aumento na produtividade e qualidade de grãos, além de resultar em uma maior rentabilidade na sua lavoura. Ele era parte original do parágrafo já no site. Sugiro separá-lo em dois e colocar a segunda parte aqui no final.

Conheça as soluções BASF para o cultivo do Arroz e seu momento de aplicação!

Clique nos botões para navegar na imagem 

A BASF oferece diversos herbicidas para arroz que combinam alta eficiência e tecnologia. Dessa forma, será possível realizar o manejo eficiente e controlar as principais plantas daninhas que podem afetar sua lavoura, disputam nutrientes e água a plantação, e prejudicam e diminuem a rentabilidade dos grãos. A BASF tem um portfólio exclusivo para a cultura do arroz, com soluções desenvolvidas para a sua lavoura se desenvolver no limpo e entregar resultados cada vez melhores. Encontre abaixo a melhor solução de herbicidas BASF para as necessidades da sua cultura:

A BASF oferece fungicidas para arroz sendo possível realizar a prevenção e controle de doenças fúngicas que podem afetar sua plantação de arroz, causam prejuízos e diminuem a rentabilidade dos seus grãos. Encontre abaixo as melhores soluções de fungicidas BASF para as necessidades da sua cultura:

A BASF oferece diversas opções de inseticidas para arroz.  Pragas como lagarta-das-folhas, panícula e percevejo-do-colmo são alguns dos desafios encontrados pelo rizicultor. Com os inseticidas da BASF para o arroz, você pode contar com soluções de alta performance quem mantém a eficácia e proteção em todas as fases de desenvolvimento da sua lavoura. Dessa forma, será possível realizar a prevenção e controle de insetos e pragas que podem afetar a sua plantação, causam prejuízos e diminuem a rentabilidade dos grãos. Encontre abaixo as melhores soluções de inseticidas BASF para as necessidades da sua cultura e tenha uma produção com mais qualidade e rentabilidade a cada safra:

A BASF oferece opções para o tratamento de sementes de arroz. Dessa forma, será possível proteger suas sementes contra o ataque de pragas e doenças no período inicial de desenvolvimento da cultura, além de oferecer diversas outras funções complementares que evitam prejuízos e aumentam a rentabilidade dos grãos. Encontre abaixo as melhores soluções para o tratamento de sementes para arroz BASF: 

A BASF oferece sementes de arroz mais produtivas, desenvolvidas com a melhor genética e alta qualidade para intensificar a qualidade dos grãos por hectare no campo.

Sementes BASF para a Cultura do Arroz

 BASF oferece cultivares para a cultura do arroz junto ao sistema de produção Clearfield®, além de novas marca de sementes de arroz Lidero®

A importância do arroz na economia brasileira

Anualmente, é estimado que mais de 150 milhões de hectares de arroz são cultivados no mundo, ao todo, produzindo quase 600 milhões de toneladas. O arroz também é um elemento básicos na alimentação de 2,5 bilhões de pessoas e, segundo estudos, haverá um crescimento na demanda para atender o dobro da população até 2050.

No Brasil, ele tem uma importância ainda maior, tanto econômica, quanto socialmente falando. Ao lado do feijão, o arroz tem renome nos pratos dos brasileiros, sendo comumente destacado por campanhas ou ações sociais e governamentais — nas quais o combo do grão com o cereal é apontado como essencial para o almoço (a principal refeição do nosso país).

O nível da produtividade brasileira é tão importante que, em 2008, sua geração representou 2% do total mundial, e mais da metade referente à América Latina. Considerando o panorama mundial, o Brasil também está entre os dez principais produtores de arroz, com mais de 10 milhões de toneladas para um consumo de quase 12 milhões de toneladas base casca, considerado o maior produtor fora do continente asiático. 

Para 2022, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estima que a produção de arroz seja de 11,5 milhões de toneladas.

Qual é a melhor época para plantar arroz?

O plantio de arroz no solo brasileiro é muito específico. Por questões como a riqueza de nutrientes do solo e o clima, cada área do país possui intervalos específicos em que cultura poderá ser plantada com qualidade. Em primeiro lugar, é importante que o solo seja rico em nutrientes e plano. Ambos os elementos são responsáveis por facilitar a colheita dos grãos ao fim do ciclo da cultura. 

Por conta das particularidades da planta, a semeadura deverá ser escolhida com cuidado para não afetar negativamente a qualidade e a produção do arroz, e consequentemente, os ganhos dos produtores com ele. Ele também não tolera temperaturas baixas ou altas demais, tendo que ser plantado com um clima entre 20°C e 35°C. 

No norte do país, é ideal que a semeadura aconteça durante o mês de outubro. No sul do país, em setembro. Já no centro-oeste, o período indicado é nos meses de setembro e janeiro. No nordeste, o plantio acontece entre em outubro e janeiro. E no sudeste, o momento ideal para o seu plantio é de outubro a dezembro - no último quadrimestre do ano. Entre as regiões atuantes na produção de arroz no país, o Estado do Rio Grande do Sul — o maior produtor — é o único cuja as baixas temperaturas locais têm a maior influência em sua produtividade. Devido o arroz responder a soma termina para o seu desenvolvimento quando realizado o cultivo na região sul, semeaduras fora do período recomendado para os diferentes ciclos das cultivares acarreta a redução de produtividade devido a redução de radiação solar no período de maior necessidade das plantas. Além disso semeaduras tardias (nov-dez) ocorre maior incidência de doenças e associado a menor radiação no período reprodutivo acarreta baixo potencial produtivo.

Para ter mais informações, conecte-se com a BASF no Youtube ou na Fazenda Basf, o portal da para o agricultor com muitos conteúdos, eventos e informações para agricultura e seus cultivos mais sustentáveis e rentáveis.

Como e quando acontece a colheita de arroz? 

A melhor época para colher o arroz corresponde à fase de sua maturação. Nela, será obtido o maior rendimento dos grãos inteiros no beneficiamento, além de menor perda dos grãos no campo. Lembrando que colheitas antecipadas ou atrasadas podem afetar o rendimento industriais das cultivares. 

Caso o arroz seja colhido com alto teor de umidade, sua produtividade será prejudicada pela presença de grãos muitas vezes imaturos, malformados, gessados e que se quebrarão com facilidade em outras fases da colheita e produção, tais como o beneficiamento, o polimento e o descasque. 

Com a colheita sendo realizada em uma época posterior à indicada, os grãos colhidos terão baixo teor de umidade. Grãos com essa especificidade, geralmente, serão naturalmente desprendidos e suas hastes pouco resistentes. Além disso, a qualidade do produto será afetada pela redução de seu rendimento após o beneficiamento. 

É indicado que, para obter a melhor qualidade e rendimento do arroz plantado, ele deverá ser colhido com teor de umidade entre 18 à 23%, e com aparelhos e máquinas especializadas. 

O seu ciclo de desenvolvimento pode ser dividido em três fases: plântula, vegetativa e reprodutiva, com duração ao todo de 100 a 140 dias. Contudo, outros fatores externos poderão contribuir diretamente ou não para a qualidade dos grãos, como o cultivar, a época da semeadura, região do seu cultivo e das condições do solo.

Dicas no Manejo

Produzimos uma série de conteúdo para te instruir sobre o manejo do cultivo e as melhores práticas com os produtos BASF. Confira:

O Arroz-vermelho (Oryza sativa L.) e o Capim-arroz (Echinochloa crusgalli) são duas das plantas daninhas mais devastadoras do cultivo de arroz.

Se o manejo desses infestantes não for realizado adequadamente, sua cultura poderá sofrer com perda em qualidade e produtividade, com índices negativos de comprometimento em até 30%. Em casos mais severos, seu impacto poderá até mesmo inviabilizar a lavoura por completo.

Tanto o Arroz-vermelho, como o Capim-Arroz, são plantas invasoras, pertencendo a mesma espécie das plantas cultivas em áreas de arroz. Essa característica específica é o que torna o seu manejo ainda mais complicado.

Ao observar esse contexto, a BASF lançou no mercado brasileiro o Sistema de Produção Provisia, para a cultura do arroz. Ele chega para somar forças ao Sistema Clearfield®, preservando o que ele de melhor nos proporciona, mas ampliando as possibilidades de controle de plantas daninhas resistentes, como o Capim-arroz e o Arroz-vermelho, e incorporando novos conceitos de produção, contribuindo para o fortalecimento do Sistema Produtivo do Agricultor. Afinal de contas, o seu negócio precisa perpetuar.

Provisia chega para oferecer um diferente mecanismo de ação para o controle destas daninhas em pós-emergência da cultura, inclusive as plantas resistentes aos herbicidas inibidores da acetolactato sintase (ALS).

 

A tecnologia, que será disponibilizada com exclusividade por meio da marca de sementes de arroz Lidero, será tolerante ao novo herbicida Provisia® 50 EC.

O objetivo é auxiliar o agricultor em seus principais desafios no campo, a partir da:

 

•        Adoção dos novos Híbridos de Arroz Provisia com alto teto produtivo e qualidade de grãos;

•        Utilização do novo herbicida Provisia® 50 EC;

•        Integração dos sistemas de produção: Clearfield® e Provisia;

•        Rotação de culturas e adoção de boas práticas de manejo.

 

Uma das doenças que chama a atenção dos produtores e agricultores é a Mancha-parda (Bipolaris oryzae). Altamente resistente, a doença consegue atingir a cultura durante todos os seus estágios de desenvolvimento.

Alguns dos sintomas mais frequentes da Mancha-parda nos grãos e folhas são o surgimento de manchas de cor marrom-avermelhada nos grãos, lesões que enfraquecem a estrutura das hastes, perdas do arroz durante a colheita, entre outros problemas. Todos esses fatores conseguem afetar a rentabilidade do produtor.

Para um manejo eficiente na cultura de arroz é importante utilizar variedades com certo grau de resistência, além de sementes com alto potencial genético e devidamente tratadas. Confira alguns deles no portfólio de produtos e serviços da BASF.

WhatsApp Image 2021-07-19 at 15.24.40.jpeg

ARROZ | Tratamento de sementes na cultura do arroz

Saiba como o tratamento das sementes industriais vai garantir a proteção adequada para um bom desenvolvimento inicial do cultivo de arroz, com o controle de doenças e pragas. Quem conta mais detalhes sobre esse processo é o Miguel Manosso, que faz parte do Desenvolvimento de Produtos no time da BASF.

Leia mais sobre a cultura do arroz:

USO EXCLUSIVAMENTE AGRÍCOLA. APLIQUE SOMENTE AS DOSES RECOMENDADAS. DESCARTE CORRETAMENTE AS EMBALAGENS E RESTOS DE PRODUTOS. INCLUIR OUTROS MÉTODOS DE CONTROLE DO PROGRAMA DO MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS (MIP) QUANDO DISPONÍVEIS E APROPRIADOS. RESTRIÇÃO TEMPORÁRIA NO ESTADO DO PARANÁ NA CULTURA DO ARROZ: IMUNIT® PARA O ALVO SPODOPTERA FRUGIPERDA. PRODUTO FACET® NÃO REGISTRADO NO ESTADO DO PARANÁ. PRODUTOS REGISTRADOS NO MAPA SOB OS NÚMEROS: BRIO® Nº 09009, FASTAC® DUO Nº 10913, NOMOLT® 150 Nº 01393, IMUNIT® Nº 08806, BASAGRAN® 600 Nº 0594, FACET® Nº 00389004, HERBADOX® 400 EC Nº 015907, ONLY® Nº 05203, KIFIX® Nº 007907, HEAT® Nº 01013, STANDAK® TOP Nº 01209, AURA® 200 Nº 0407 E DASH® HC Nº 04599.

Conheça nossas soluções