Usamos cookies de navegação neste site para garantir uma experiência mais personalizada e responsiva a você. Ao fazer uso, você também concorda com nossa Política de Privacidade de Dados. Saiba mais como cookies são utilizados ou como bloqueá-los ou deletá-los.

Brasil
Agricultura

Cabrio® Top | Fungicida top para Hortifrúti

Bula   

Controle preventivo sobre as principais doenças do cultivo da uva como o míldio, o oídio e a ferrugem. O produto fungicida Cabrio® Top apresenta efeitos fisiológicos que promovem maior produtividade e qualidade para o cultivo da uva, cultivo da maça, cultivo da batata, cultivo do tomate, entre outras lavouras de hortifrúti.

Sabemos que doenças como míldio podem causar danos severos em qualquer fase do desenvolvimento das plantas. Por isso, recomendamos que você faça o manejo integrado e preventivo, sem esquecer de inspecionar e monitorar constantemente as lavouras.

O uso de fungicidas diferenciados é essencial para potencializar o controle de doenças. Nesse sentido, a BASF conta com o produto Cabrio® Top, solução que além de ser efetiva contra as principais doenças, também contribui para uma maior produtividade, qualidade e rentabilidade, pois apresenta em sua fórmula efeitos fisiológicos.

O fungicida Cabrio® Top apresenta duplo modo de ação, e atua na inibição da germinação dos esporos, desenvolvimento e penetração dos tubos germinativos. A solução deve ser aplicada preferencialmente de forma preventiva em todos os cultivos registrados.

Cabrio® Top também é recomendado para o controle da requeima e pinta-preta no cultivos de batata e tomate; e míldio no cultivo da cebola.

Cabrio® Top

Benefícios

  • Amplo espectro de controle das principais doenças.
  • Excelente opção no manejo de controle e alta seletividade nas culturas HF.
  • Efeitos fisiológicos: maior qualidade, produtividade e rentabilidade.
  • Recomendado no manejo de resistência dos fungos.

Bula Cabrio® Top

Veja como melhorar a produtividade do seu cultivo com o Cabrio® Top

Para mais informações, faça o download da bula aqui.

Tabela de Dosagem

p.c. = produto comercial (1 Litro de Cabrio® Top equivale a 550 g i.a. de Metiram + 50 g i.a. de Piraclostrobina)

i.a. = ingrediente ativo

* Utilizar as maiores doses em áreas de alta incidência da doença e/ou para se conseguir um maior período de controle.

**U.N.A. - Uso Não Alimentar – número de aplicações não definido para cultivos

INTERVALO DE APLICAÇÃO (Período de carência) 

  • Míldio: Iniciar as aplicações preventivamente a partir da emissão da inflorescência respeitando um período de controle de 7 a 10 dias dependendo da evolução da doença, para a realização de aplicações sequenciais de fungicidas de diferentes modos de ação após as aplicações de Cabrio® Top, dependendo da evolução da doença. Não ultrapassar o número de 3 aplicações por ciclo e respeitar o intervalo de segurança.
  • Ferrugem: Iniciar as aplicações preventivamente a partir do florescimento e repetir com intervalos de 15 a 20 dias. Não ultrapassar o número de 3 aplicações por ciclo e respeitar o intervalo de segurança.
  • Oídio: Iniciar as aplicações preventivamente a partir do florescimento e repetir com intervalos de 14 dias dependendo da evolução da doença. Não ultrapassar o número de 3 aplicações por ciclo e respeitar o intervalo de segurança.
Alvos Biológicos Dose* em ML p.c. ha** Dose* em mL p.c./100l** Volume de calda (L/ha) Número Máximo de Aplicações Intervalo de Segurança
Oídio (Uncinula necator) 2,0 - 500 - 1000 3 30 dias
Mídio (Plasmopara viticola) 2,0 - 500 - 1000 3 30 dias
Ferrgugem (Phacopsora euvitis) 2,0 - 500 - 1000 3 30 dias

INTERVALO DE APLICAÇÃO (Período de carência) 

  • Requeima: Iniciar as aplicações preventivamente antes do aparecimento dos primeiros sintomas da requeima, repetindo as aplicações em intervalos de 7 dias dependendo da evolução da doença. Não ultrapassar o número de 6 aplicações por ciclo e respeitar o intervalo de segurança.
  • Pinta preta: iniciar as aplicações preventivamente no aparecimento dos primeiros sintomas da doença, que normalmente ocorre no início da tuberização (ao redor dos 45 dias após plantio), utilizando-se a dose de 1,5 kg/ha para controle da pinta-preta em condições climáticas não tão favoráveis ao desenvolvimento da doença e 2,0 kg/ha quando as condições forem favoráveis, repetindo as aplicações se necessário em intervalos de 10 a 14 dias dependendo da evolução da doença, respeitando-se o intervalo de segurança.
  • Rizoctoniose: realizar a aplicação preventivamente no sulco de plantio, diretamente sobre os tubérculos, utilizando-se a dose de 3 kg/ha para áreas onde se tem baixa pressão de doença e a dose 5 kg/ha em áreas com histórico da doença, bem como quando as condições forem favoráveis ao desenvolvimento da doença. Logo após a aplicação, fechar o sulco de plantio com terra.
Alvos Biológicos Dose* em ML p.c. ha** Dose* em mL p.c./100l** Volume de calda (L/ha) Número Máximo de Aplicações Intervalo de Segurança
Pinta-preta (Alternaria solani) 1,5 - 2,0 - 500 - 800 6 7 dias
Requeima (Phytophthora infestans) 3,0 - 500 - 800 6 7 dias
Rizoctoniose (Rhizoctonia solani) 3,0 - 5,0 - 500 - 800 6 7 dias

INTERVALO DE APLICAÇÃO (Período de carência) 

  • Requeima: Iniciar as aplicações preventivamente antes do aparecimento dos primeiros sintomas, repetindo as aplicações em intervalos de 7 dias dependendo da evolução da doença. Não ultrapassar o número de 5 aplicações por ciclo e respeitar o intervalo de segurança.
  • Pinta-preta: Iniciar as aplicações preventivamente no aparecimento dos primeiros sintomas da doença que normalmente ocorre entre o primeiro e o segundo amarrio do tomate estaqueado (45 dias do transplante) e a partir do florescimento do tomate rasteiro (40 a 50 dias após transplante), repetindo se necessário em intervalos de 7 a 14 dias dependendo da evolução da doença e respeitando-se o intervalo de segurança.
Alvos Biológicos Dose* em ML p.c. ha** Dose* em mL p.c./100l** Volume de calda (L/ha) Número Máximo de Aplicações Intervalo de Segurança
Pinta-preta (Alternaria solani) - 200 1000 5 7 dias
Septoriose (Septoria lycopersici) - 200 1000 5 7 dias
Requeima (Phytophthora infestans) - 400 1000 5 7 dias

INTERVALO DE APLICAÇÃO (Período de carência) 

  • Sarna-da-macieira: O controle da sarna-da-macieira (Venturia inaequalis) deverá ser realizado com tratamentos preventivos, devendo ser aplicado a partir do estágio E2 (botão rosado) em diante em intervalos de 8 a 12 dias dependendo da pressão de infecção, das condições climáticas e da evolução das folhas. Caso exista na região "Estação de Aviso” aplicar o produto até 72 horas após o alarme. 
  • Doenças de verão: Para controle das doenças de verão iniciar as aplicações preventivamente a partir de outubro e repetir se necessário com intervalos de 7 a 14 dias. Não ultrapassar o número de 4 aplicações por ciclo e respeitar o intervalo de segurança.
Alvos Biológicos Dose* em ML p.c. ha** Dose* em mL p.c./100l** Volume de calda (L/ha) Número Máximo de Aplicações Intervalo de Segurança
Sarna-da-macieira (Venturia inaequalis) - 250 1000 4 21 dias
Podridão-amarga (Colletotrichum gloeosporioides) - 250 1000 4 21 dias

Ingredientes ativos
Piraclostrobina e Metiram

Grupos químicos
Estrobilurina e Alquilenobis (ditiocarbamato)

Concentração
50 + 550 g.i.a/kg

Formulação
WG (Granulado dispersível)

10 x 1 KG
2 x 6 KG

ATENÇÃO

USO EXCLUSIVAMENTE AGRÍCOLA APLIQUE SOMENTE AS DOSES DE PRODUTOS. RECOMENDADAS. DESCARTE CORRETAMENTE AS EMBALAGENS E RESTOS INCLUIR OUTROS MÉTODOS DE CONTROLE DENTRO DO PROGRAMA DO MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS (MIP) QUANDO DISPONÍVEIS E APROPRIADOS. RESTRIÇÃO DE USO TEMPORÁRIO NO ESTADO DO PARANÁ PARA OS ALVOS ALTERNARIA PORRI E PUCCINIA ALLII PARA ALHO. REGISTRO MAPA: CABRIO® TOP Nº 01303.

Conheça nossas soluções