Usamos cookies de navegação neste site para garantir uma experiência mais personalizada e responsiva a você. Ao fazer uso, você também concorda com nossa Política de Privacidade de Dados. Saiba mais como cookies são utilizados ou como bloqueá-los ou deletá-los.

Brasil
Agricultura

Fotoperíodo e fotossensibilidade na plantação de soja

Confira como a duração da radiação determina o florescimento da cultura da soja

Felipe Sartori - ESALQ / USP

basf-plantacao-de-soja .PNG

luz influencia as culturas de diversas maneiras. No caso da soja, essa influência vai além da fotossíntese, afetando o florescimento da cultura. As plantas dessa espécie são classificadas como de dia-curto, isto é, seu florescimento ocorre abaixo de um valor chamado de fotoperíodo crítico. Outro ponto crucial é o chamado período juvenil, o qual é a fase de pré-indução/insensibilidade da espécie ao fotoperíodo.

Vejamos o que significa cada um desses pontos.

Fotoperíodo na plantação de soja

Fotoperíodo é a variável climática a qual identifica o período de luminosidade solar na Terra, ou seja, o período que vai do amanhecer ao pôr do sol. Tal valor é maior para as maiores latitudes no verão e menor no inverno para as mesmas. Também, para uma região de latitude maior que zero, o fotoperíodo apresenta um valor máximo no dia 21/12 (início do verão) e mínimo no dia 21/06 (início do inverno). Assim, observa-se que quanto mais ao norte do Brasil, menor o valor de fotoperíodo alcançado durante a época de cultivo da soja; e quanto mais atrasada a semeadura, menor o valor do fotoperíodo.

Fotoperíodo crítico

Para entender a função ecofisiológica do fotoperíodo crítico, utilizemos a seguinte situação hipotética: para cultivares com a mesma duração da fase de pré-indução floral, a variedade com maior fotoperíodo crítico será classificada como a de menor grupo de maturação relativa, e consequentemente será indicado para regiões de maiores latitudes (mais ao sul do Brasil, ex.: Passo Fundo-RS) e semeaduras mais antecipadas dentro do zoneamento agroclimático. 

Assim, o maior fotoperíodo das regiões de maiores latitudes atenderá a fotossensibilidade de cultivares de maior fotoperíodo crítico. Agora, caso este mesmo cultivar fosse semeado em menores latitudes (ex.: Sinop-MT) que apresentam menor fotoperíodo durante a safra de soja, o resultado seria um florescimento precoce, o que resultaria em menor número de nós, menor porte de planta, menor inserção de primeira vagem, menor número de vagens.m-2, e consequentemente, menor produtividade.

Período juvenil

Juntamente com o fotoperíodo crítico, a duração da fase juvenil (pré-indução/insensibilidade floral) também determina o florescimento da cultura da soja. Para entendermos o funcionamento dessa característica, utilizemos novamente uma situação hipotética com dois cultivares de mesmo valor de fotoperíodo crítico, sendo um deles com período juvenil curto e outro longo. Caso semeados em local ou época onde ocorra fotoperíodo abaixo do crítico desde o início do ciclo da cultura, o cultivar com período juvenil curto irá florescer antes daquele com período juvenil longo, uma vez que o primeiro apresentará apenas poucos dias de pré-indução/insensibilidade. Como consequência, o primeiro cultivar irá apresentar menor estatura do que o segundo cultivar, podendo tal situação ser manejada pelo ajuste da população de plantas, casos específicos e com menor frequência.

Apesar de utilizarmos exemplos onde consideramos as duas características isoladamente, no Brasil grande parte dos cultivares apresentam ambas. Dessa forma, encontramos no país cultivares que vão desde o grupo de maturação relativa 5 até 9.

Ainda, é essencial destacarmos a importância da descoberta do período juvenil longo para o cultivo de soja em regiões tropicais. O uso de tal característica no melhoramento genético de cultivares brasileiros permitiu a melhor adaptação da soja à regiões tropicais, onde antes se dependia exclusivamente de cultivares com fotoperíodos críticos extremamente baixos. Além disso, o período juvenil longo permitiu a ampliação de uso e estabilidade do mesmo cultivar em uma maior faixa latitudinal.

Portanto, a escolha de um cultivar para uma determinada região e época de semeadura buscando o melhor desenvolvimento da soja deve levar em consideração o seu grupo de maturação relativa, o qual será resultado do fotoperíodo crítico e da duração do período juvenil.

Quer receber outros conteúdos, estudos exclusivos, ebooks e convites para eventos?

Cadastre-se agora!

Leia mais:

Conheça as soluções da BASF para este cultivo:

BR-cultura-da-soja.PNG

Soja

Plantas daninhas e doenças como a ferrugem asiática e a antracnose comprometem o cultivo da soja. Confira as soluções integradas da BASF!

Leia mais
BR-Agroclima-PRO.jpg

Agroclima PRO BASF

Informações de tempo e clima personalizadas de acordo com a sua região! Sua lavoura com mais qualidade e produtividade com o agroclima PRO BASF.

Leia mais
BR-header-lista-de-distribuidores-basf.jpg

Lista de Distribuidores

Confira os distribuidores da sua região.

Leia mais