Brasil
Agricultura

7 passos para uma plantação de arroz lucrativa

Produzir em grande escala não significa obrigatoriamente ter boa rentabilidade. Essa é uma regra que se aplica a qualquer cultura agrícola. E não é diferente nas lavouras de arroz, uma das mais difundidas pelo país.

A lucratividade é obtida com uma combinação de produtividade e qualidade dos cereais colhidos. Para obtê-la, o rizicultor precisa aplicar no campo as melhores práticas produtivas, a começar da preparação do solo. 

Confira a seguir, sete passos essenciais para alcançar uma produção de arroz lucrativa. 

1º passo: Faça o correto manejo na área

De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), na cultura do arroz são empregadas três formas de preparo de solo: convencional, cultivo mínimo ou plantio direto —  que devem ser escolhidos de acordo com as características da região de cultivo em questão e dos sistemas de plantio adotados. 

Quando realizada a preparação do solo prévia à implantação da lavoura, se criam condições iniciais ideais tanto para a semeadura do cereal quanto para os outros estádios de desenvolvimento do arroz. 

 

O trabalho bem feito nesse momento também possibilita a eliminação das plantas daninhas da área de plantio, assim como a descompactação e o controle da erosão do solo. Todas essas ações são feitas com arados, grades ou até mesmo enxadas (quando de forma manual).  

 

A etapa de preparo do solo é tão importante que, se feita de forma errada, pode impactar diretamente no processo de produção do arroz. Um exemplo clássico é a presença de torrões grandes no solo ou de restos culturais, que, quando não eliminados, afetam uma das fases mais críticas da cultura, que é a semeadura. 

2º passo: Escolha do material ideal para a região de plantio

O arroz é uma cultura de fácil adaptação e, por isso, pode ser cultivado em qualquer região do país. Porém, diante dessa versatilidade, o sucesso da produção fica atrelada à escolha da cultivar mais adequada para cada local. 

 

Para determinar qual será a cultivar utilizada, alguns fatores devem ser analisados, segundo orientação da Embrapa: 

  • Sistema de cultivo adotado (irrigado ou sequeiro);

  • Disponibilidade de água na região; 

  • Tecnologia utilizada na área; 

  • Fertilidade do solo em questão. 

 

Nesse processo é fundamental analisar também as características da cultivar, como a sua resistência às principais doenças e pragas da cultura e da região, o seu potencial produtivo, a sua tolerância a longos períodos sem água e o seu ciclo de desenvolvimento. 

3º passo: Garanta o manejo de água na lavoura 

O arroz é um cereal que necessita de água em abundância para se desenvolver adequadamente e com alto teor produtivo. Sendo assim, garantir que será irrigado na quantidade ideal é fundamental. 

Em função dessa exigência, hoje a maior parte das plantações de arroz no Brasil acontece com a implementação de um sistema de irrigação. Assim, as lavouras não ficam dependentes das águas das chuvas. 

 

Porém, algumas regiões do Brasil, em especial no Norte e Nordeste, utilizam o sistema de plantio por sequeiro. 

Nesse caso, para garantir a alta produtividade dos grãos, a melhor estratégia está na escolha do período ideal de plantio, a fim de garantir que não haverá estresse hídrico nos momentos mais importantes do ciclo de desenvolvimento do cereal. 

4º passo: Faça o plantio de arroz na época certa

Sabendo da adaptabilidade do arroz, de sua exigência por água e das diferentes condições climáticas no território brasileiro, é de extrema importância escolher uma época de plantio condizente com as condições do ambiente em questão. 

Isso porque, caso o plantio não aconteça no período ideal, o desenvolvimento do cereal pode ser seriamente comprometido, uma vez que o início do seu ciclo pode coincidir com uma forte seca, por exemplo. 

 

Nesse processo, o produtor pode levar em conta qual será o sistema de cultivo adotado, se será por irrigação, que dá a garantia de água durante toda a safra, ou por sequeiro, que conta apenas com as águas da chuva para irrigar os cereais. 

Para escolher a época certa para o plantio do arroz, os produtores podem consultar o zoneamento agroclimático. Assim, levando em conta as condições climáticas da região, da cultivar adotada e do sistema de cultivo implementado, é possível definir a melhor época para o plantio. 

5º passo: Realize o manejo integrado de pragas, doenças e plantas daninhas

Para prevenir a lavoura de arroz , é importante, primeiramente, conhecer o histórico da região de plantio e quais as culturas que estão sendo cultivadas no entorno.

Depois disso, é preciso seguir algumas ações de manejo a fim de combater essas doenças e pragas e, se necessário, investir em técnicas para o controle.

Uma das primeiras ações a se colocar em prática é a eliminação de restos culturais ainda no preparo do solo. Isso ajudará a combater as principais plantas daninhas da cultura do arroz. 

 

Além disso, escolher cultivares resistentes às principais doenças e pragas da cultura e fazer o tratamento das sementes é fundamental para evitar danos nas lavouras. 

Outro passo importante para o produtor, é ficar atento quanto aos sinais que a planta dá, a fim de identificar se há ou não a presença de alguma doença ou praga. 

Caso identifique algo anormal, é fundamental entrar em contato com o técnico ou agrônomo de confiança para definir qual o melhor produto a ser implantado na lavoura. 

 

Leia mais: Sistema de produção Provisia™. Evolução no controle. Revolução no Manejo.

6º  passo: Implemente a rotação de culturas 

A rotação de culturas é uma técnica indicada para os diferentes sistemas de produção do arroz, desde o de plantio direto até o convencional. 

Isso acontece porque o método cultural reduz as chances de pragas e doenças na lavoura, uma vez que, alterando a cultura cultivada, também se alteram os produtos aplicados no local e os mecanismos de ação. 

Assim, além de recuperar o solo com a reciclagem dos nutrientes, a rotação de culturas reduz as chances do aparecimento de pragas, doenças e plantas daninhas. O método também proporciona uma melhor produtividade das culturas alternadas. 

7º passo: Faça um planejamento de custos

A produção de arroz exige grandes investimentos financeiros, especialmente quando se trata do arroz irrigado, que necessita de maquinários para a implementação do sistema de irrigação, de mão de obra qualificada e de investimentos até mesmo para as manutenções futuras. 

 

Por isso, antes mesmo de definir qual o sistema de cultivo é preciso fazer um planejamento financeiro, a fim de estabelecer quais valores serão investidos. Isso possibilitará que, mesmo com os investimentos feitos na lavoura, a plantação de arroz seja lucrativa. 

 

Além de estabelecer qual sistema de cultivo adotado, o produtor pode reduzir o investimento na plantação ao realizar o plantio na época certa, assim como garantir o correto preparo do solo e o manejo das doenças e plantas daninhas, que quando acometem uma lavoura promovem inúmeros dados. 

Leia mais:

Conheça as soluções da BASF para este cultivo: