Brasil
Agricultura

Excesso de água no solo pode prejudicar o cafeeiro?

Os desafios climáticos exigem cada vez mais conhecimento dos agricultores. Sobretudo dos cafeicultores, já que a cultura do café é uma das que mais sofre com variações de temperatura e o estresse hídrico.

Diante disso, a prática exige de cafeicultores um avanço constante em técnicas que contribuam para a formação de grãos cada vez melhores e com mais qualidade. Saber do que a planta de café precisa para se desenvolver bem é essencial aos bons resultados e à conservação da cultura. 

 

Oferecer a dosagem correta de água por planta de café é uma das principais ações no manejo dos cafezais. Afinal, a água é um dos elementos essenciais para a formação do fruto. Já em excesso, pode se tornar prejudicial ao grão.

Quantidades de água acima do necessário podem reduzir o desenvolvimento do sistema radicular e prejudicar a absorção de nutrientes por parte da planta.

Danos do encharcamento à planta de café

Antes de falar sobre os danos causados aos cafeeiros pela água em excesso, é preciso entender a quantidade de água que cada planta necessita para se desenvolver. 

Na prática, cada pé de café precisa entre 4 a 6 litros de água por dia para produzir grãos nutritivos e de qualidade. Esse índice pode sofrer variação para mais ou para menos, de acordo com a variedade que está sendo cultivada e a região de plantio. 

 

Por isso, para identificar que uma planta de café está com problemas de excesso de água, é preciso levar em conta todas as características das plantas e da área. 

Um solo em que plantas de café estão sendo cultivadas não pode ser um solo encharcado. No caso do café, a presença de água em excesso impede a absorção de nutrientes pela planta, o que acaba gerando alterações em seu desenvolvimento. 

 

 A água em excesso gera prejuízos financeiros aos cafeicultores, uma vez que também pode causar quedas na produtividade do grão.

Sinais de que a planta de café está com muita água

Quando o cafeeiro está recebendo mais água do que necessita, ele apresenta alguns sinais que podem ser facilmente identificados pelos produtores na lavoura. 

Os mais comuns e perceptíveis são a queda dos grãos e das folhas, a mudança na coloração das folhas (passando de verde para um tom amarelado) e a estagnação no crescimento do cafeeiro. 

Todos esses sinais representam os danos internos causados às plantas, como a deficiência dos micronutrientes e falta de nitrogênio (N) e potássio (K), por exemplo. 

Importância da irrigação

Com a implantação de um sistema de irrigação fica muito mais fácil o controle da quantidade de água que a planta de café receberá. Com o método correto, é possível programar quanto de água deve ser adicionada ao cafezal. 

 

Além disso, também é possível garantir a entrega dos nutrientes, fertilizantes e outros produtos pelo próprio sistema adotado e no momento ideal. Hoje, existem no mercado inúmeros sistemas de irrigação que, além de garantir o abastecimento ideal de água, promovem uma maior economia aos produtores.  

 

Cada sistema possui características específicas, por isso, antes de implantar qualquer um dos existentes no mercado é preciso definir quais são as particularidades da área de plantio em questão. Nesse caso, é fundamental uma análise de um técnico ou engenheiro agrônomo.

Leia mais:

Conheça as soluções da BASF para este cultivo: