Brasil
Agricultura

7 usos da agricultura de precisão que ajudam na lavoura

A tecnologia mudou significativamente todos os setores da sociedade contemporânea. E, há alguns anos, também revolucionou um dos setores produtivos mais antigos da humanidade: a Agricultura.

Com isso trouxemos os pontos mais relevantes para ajudar na compreensão sobre os benefícios desse sistema de gerenciamento agrícola

Como a tecnologia transformou a agricultura de precisão?

A agricultura de precisão tem tudo a ver com a melhor gestão de recursos disponíveis no sistema de produção agrícola. Algo que confere uma otimização riquíssima no uso de insumos em cada local e no momento ideal.
Desde as suas primeiras aplicações, em meados da década de 1990, a agricultura de precisão trouxe aumento de produtividade (e de rentabilidade) a partir da redução de riscos nas culturas e de desperdícios em todas as etapas do plantio. E o melhor: com menos impactos ambientais.

 

O ponto-chave que trouxe o conceito com um status ainda maior de inovação, no século 21, é o alinhamento da metodologia com as tecnologias digitais. Graças a ferramentas capazes de impulsionar a conectividade, integração e análise de dados do que acontece no campo, em tempo real, o produtor passou a ter mais poder de coleta e processamento de informações, o que contribui muito em sua tomada de decisão no dia a dia da propriedade.
 

Até por isso, é comum que as pessoas confundam os conceitos de agricultura de precisão e agricultura digital (ou agricultura 4.0). Mas, na verdade, são ideias distintas e complementares.

Afinal, a agricultura digital se caracteriza justamente pelo uso de soluções tecnológicas que valorizaram diversas etapas da cadeia produtiva no campo e também tudo aquilo que a agricultura de precisão vinha realizando nos últimos vinte anos ou mais.

Quais tecnologias são aplicadas na agricultura de precisão?

Processos automatizados por meio de softwares de gestão, maquinários autônomos, Big Data, soluções na nuvem, Internet das Coisas… Isso tudo tem a ver com agricultura de precisão, atualmente, porque são os elementos que favorecem a coleta de dados e o contínuo aprendizado das necessidades do plantio e também para otimizar a eficiência e operação dos equipamentos.
 

Esse é, inclusive, um caminho do qual o mercado não volta mais atrás. Globalmente, nos dias atuais,cerca de 50% dos produtores rurais disseram adotar ou estão pensando em investir nessas tecnologias agrícolas.

Mas onde, especificamente, a agricultura de precisão é potencializada por essas soluções digitais? Veremos isso, adiante!

O que é a agricultura de precisão?

Agricultura de precisão – ou AP – é um conceito que se ampara em diferentes soluções tecnológicas para apresentar novas abordagens que contribuam na otimização do trabalho na lavoura através de estratégias de manejo eficientes e focadas em cada necessidade.

Para isso, são realizadas observações e análises do campo de modo direcionado, segmentando toda a área de plantio e implementando técnicas conforme as suas necessidades e características específicas de cada talhão.
 

No Brasil, as primeiras iniciativas surgiram com a crescente popularização de colheitadeiras equipadas com GPS – Global Positioning System – e também com os sensores que monitoram o avanço da colheita.

Contudo, os métodos mais utilizados pelos agricultores brasileiros são as amostragens referenciadas, que trazem um mapeamento completo do solo e, por consequência, tornam a distribuição de corretivos e fertilizantes mais eficiente e exata.
 

Como resultado, são definidas abordagens que otimizam a utilização de recursos, promovem melhores resultados com menos riscos ao campo e, ainda, reduzem o impacto ambiental prejudicial à própria lavoura.

Quais tecnologias são utilizadas?

Sistematicamente, estamos falando da importância em coletar todo tipo de métrica e desempenhos acontecendo em tempo real no campo para, em seguida, transformá-los em métricas quantificáveis que agilizam e otimizam a sua tomada de decisão.

Para isso, muitas tecnologias atuais são bem-vindas para gerar o resultado esperado. Você não precisa, necessariamente, investir em todas elas — apenas naquelas que melhor se alinham aos seus objetivos e às necessidades da sua área de cultivo.


Vamos ver, então, quais são as grandes tecnologias e soluções que podem desenvolver potencialmente o seu trabalho:

●        Big Data, conceito usado para a coleta e análise inteligente de dados e que tem os softwares de gestão como aliados para um trabalho organizado, simplificado e eficiente;

●        tecnologias de automação de processos;

●        Internet of Things (Internet das Coisas);

●        Inteligência Artificial (ou IA, apenas);

●        sensores;

●        drones; 

●        GPS.

 

Entre outras. Essas são algumas das principais e que já podem colocar o seu negócio em vantagem competitiva com quem ainda não se inseriu nos benefícios da agricultura 4.0.
 

Veja também: O que é Agricultura 4.0? Saiba tudo aqui!

Como aplicar a agricultura de precisão no campo?

Vamos entender, na prática, como essas tecnologias se convertem em benefícios e vantagens competitivas para o seu negócio? Confira conosco, a seguir, algumas das aplicações mais populares da agricultura de precisão.

1. Melhores decisões em cada etapa de crescimento

Com análises de dados é possível ter acesso aos meios mais eficientes para identificar detalhada e objetivamente, todo o ciclo de crescimento das plantas. E, assim, pode-se definir o momento ideal para todo tipo de atividade. Alguns exemplos:

●        aplicação de fertilizantes;

●        uso de inseticidas;

●        aplicação de fungicidas;

●        planejar a distribuição do sistema de irrigação;

●        melhor uso para a drenagem.

2. Zoneamento do campo

Há tempos sabemos que o campo de sua área produtiva é inteiramente irregular no que diz respeito à composição do solo e à quantidade necessária de nutrientes através dele.

Mesmo assim, tradicionalmente as técnicas aplicadas levam em consideração o espaço como sendo inteiramente homogêneo. O que leva, consequentemente, a resultados irregulares e certamente em uma quantidade considerável de desperdício de insumos no processo.

Sendo assim, os recursos que a agricultura de precisão oferece estão relacionados, justamente, às possibilidades de zoneamento das áreas para que seja possível considerar as características únicas de cada parte do campo.

Dessa forma, os resultados obtidos são melhores, já que o manejo de cada especificidade é atendido no momento certo e da maneira certa.

 

3. Otimização do uso de insumos

Além de personalizar a abordagem por setores, cada agricultor pode contar com as tecnologias associadas a esse sistema de gerenciamento agrícola para calcular a quantidade ideal de produtos usados em cada etapa do plantio.

E mais, com a Internet das Coisas  – IoT – e soluções de inteligência artificial é possível automatizar processos mecânicos e repetitivos que permitem mais tempo aos agricultores para avaliar aspectos estratégicos do seu trabalho.

 

4. Distinguir ervas daninhas no meio da plantação

Também por meio das tecnologias acima citadas os equipamentos do campo podem ser calibrados para distinguir, automaticamente, a presença de ervas daninhas no meio do campo.  O que favorece e agiliza qualquer ação que tenha que ser tomada por meio desse diagnóstico.

5. Facilitar o processo de plantio

Máquinas inteligentes podem ser integradas a tecnologias que usam geolocalização garantindo, assim, a possibilidade do uso de semeadura em taxa variável, além de que possibilita que não haja sobreposição durante a implementação do plantio, garantindo assim o melhor aproveitamento dos insumos e melhor gestão de tempo e recursos evitando retrabalho.

Além de que com a implementação de tecnologias temos atingido grandes resultados, dentre eles, mais produtividade com menos obstáculos no caminho.

6. Criar mapas de colheita

Mapas de colheita — ou mapas de produtividade — permitem uma compreensão abrangente e específica, ao mesmo tempo, da lavoura.

É por meio disso, inclusive, que são adquiridas informações valiosas sobre a variabilidade na sua produção, um recurso ideal para dar os primeiros passos no gerenciamento otimizado do manejo agrícola.

7. Aplicação de insumos a uma taxa variável

Você pode usar a agricultura de precisão para otimizar o uso de insumos e, assim, reduzir o desperdício. Confira alguns exemplos do que pode ser aplicado em doses variadas:

●        agentes biológicos;

●        princípios ativos;

●       nutrientes;

●        herbicidas;

●        sementes; 

●        água.

 

Com isso tudo, podemos entender o quanto a agricultura de precisão é uma versátil e inovadora forma de enxergar, interagir e se relacionar com todo o agronegócio. Acompanhar o futuro e investir em maneiras mais inteligentes de gerir o plantio é o caminho certo quando falamos em agronegócio.

Continue explorando o nosso blog para estar antenado com as novidades do mercado em termos de plantio, colheita e tudo mais da vida no campo.

Leia mais:

Conheça as soluções da BASF para este cultivo: