Usamos cookies de navegação neste site para garantir uma experiência mais personalizada e responsiva a você. Ao fazer uso, você também concorda com nossa Política de Privacidade de Dados. Saiba mais como cookies são utilizados ou como bloqueá-los ou deletá-los.

Brasil
Agricultura

Controle biológico de pragas no tomateiro

A cultura do tomateiro está associada ao grande número de pragas, algumas delas de difícil controle até mesmo quando a método de controle é o químico. Leia mais.

Gustavo Alves  - ESALQ | USP 

Tomate-procesado-Nunhems .png

Os inimigos naturais (parasitoides, predadores e patógenos) são considerados os principais fatores de mortalidade natural no sistema agrícola, considerados a base do manejo integrado de pragas.

Os inimigos naturais podem atuar isoladamente, mantendo as pragas com níveis populacionais aceitáveis, ou mesmo ser integrado a demais métodos de controle de insetos.

Independente da cultura, ao se estabelecerem programas de manejo integrado, deve-se levar em conta a compatibilização ou integração entre métodos biológicos, químicos e outros. Nesse contexto, o uso de pesticidas seletivos que controlem as pragas sem causar efeitos negativos sobre organismos benéficos deve ser idealizado, principalmente em culturas como o tomateiro em que a frequência de aplicação de pesticidas é elevada.

A cultura do tomateiro está associada ao grande número de pragas, algumas delas de difícil controle até mesmo quando a método de controle é o químico, no entanto, a cultura dispõe também de um grande número de inimigos naturais para uso.

Conheça os agentes de controle biológico disponíveis:

  • Orius insidiosus

Controla: Tripes

Os tripes em tomateiro são controlados com liberações inundativas de percevejos predadores do gênero Orius. Esse predador tem sido utilizado principalmente em cultivo protegido de tomate e outras solanáceas.

O uso desse predador vem crescendo principalmente em tomateiro produzido em estufa e para ornamentais (flores) de modo geral.

  • Neoseiulus californicus

Controla: ácaro rajado, Tetranychus urticae

Para o controle do ácaro rajado em tomateiro, recomenda-se a utilização de ácaros predadores da espécie Neoseiulus californicus. Em campo, o ácaro predador vai em busca do ácaro rajado, predando todas as formas de desenvolvimento da praga, ovos, ninfas, larvas e adultos.

Atualmente várias empresas comercializam essa espécie. Ótimos resultados já foram obtidos com o uso de N. californicus, em alguns casos, com controle de mais de 90% da população do ácaro-praga.

  • Mirídio, Macrolophus basicornis

Controla: Mosca-branca e Tuta absoluta

Macrolophus basicornis é um percevejo predador, popularmente conhecido como mirídeo. Na Europa, uma outra espécie de mirídeo é comumente utilizada para o controle de mosca-braca e de lagartas de Tuta absoluta. No Brasil, resultados promissores vêm sendo obtidos com o mirídeo predador, M. basicornis para o controle dessas pragas.

Produto disponível no mercado? Não. Até o momento essa espécie predadora ainda não pode ser obtido comercialmente.

  • Parasitoides do gênero Trichogramma

Controla: Tuta absoluta, Neoleucinodes elegantalis e Helicoverpa zea

O controle biológico utilizando-se o parasitoide de ovos T. pretiosum em liberações inundativas (grandes quantidades) tem demonstrado grande eficiência para o controle para as três pragas acima citadas, com valores variáveis de parasitismo, que em alguns casos, ultrapassam os 80%.

O parasitoide Trichogramma pretiosum é produzido em larga escala por um grande número de empresas, no entanto, informações como a quantidade e forma de liberação desses produtos variam conforme a recomendação do fabricante.

Consulte também os posts sobre o manejo integrado da Tuta absoluta aqui e da broca-pequena-do-fruto aqui.

  • Bacillus thuringiensis

Controla: Tuta absoluta e Neoleucinodes elegantalis

Produtos à base da bactéria entomopatogênica Bacillus thuringiensis (Bt) são indicados para o controle de lepidópteros e coleópteros pragas em geral, com excelentes resultados de controle dessas pragas em tomateiro.

Uma gama de produtos à base de B. thuringiensis estão disponíveis comercialmente. Obs: A fim de se obter maior eficiência no controle das pragas, antes da utilização de qualquer agente microbiano, alguns cuidados como horário de liberações e condições climáticas devem ser levados em consideração.

  • Beauveria bassiana

Controla: Mosca-branca

Indicado para controle de insetos pragas em diversas culturas. Para o tomateiro, o fungo entomopatogênico, Beauveria bassiana é uma excelente alternativa para o controle de mosca-branca.

Assim como para o Bacillus thuringiensis, alguns cuidados na utilização de B. bassiana devem ser tomados e os detalhes podem ser obtidos no post sobre os efeitos adversos do clima no controle microbiano, aqui.

Quer receber outros conteúdos, estudos exclusivos, ebooks e convites para eventos?

Leia mais:

Conheça as soluções da BASF para este cultivo:

BR-cultura-do-tomate.png

Tomate

Evite que pragas e doenças comprometam a produtividade de qualidade do cultivo de tomate. Saiba como fazer um manejo fitossanitário correto com soluções inovadoras e sustentáveis.

BR-Duravel.png

Duravel® Fungicida

Proteja seu plantio com Duravel®, o novo biofungicida para o controle das doenças que mantem a sua lavoura ainda mais produtiva.

BR-header-lista-de-distribuidores-basf.jpg

Lista de Distribuidores

Confira os distribuidores da sua região.