Brasil
Agricultura

Sistema produtivo certo pode garantir resultado na lavoura de arroz.

O mercado de arroz está passando por momentos de turbulência. Com a demanda interna enfraquecida diante da renda limitada e da perda de poder aquisitivo do brasileiro, o Indicador Esalq/Senar-RS do arroz, por exemplo, cedeu 4,17% no último mês, registrando média de R$ 62,45/saca de 50 kg na parcial até 16 de dezembro de 2021.

 

A safra 2021/2022 está praticamente toda plantada. Agora, o investimento em tecnologia de manejo é primordial para reduzir os custos de produção e melhorar a rentabilidade do negócio. A aposta no sistema produtivo certo nesse momento é o que pode representar a diferença entre ganhos e perdas na hora da colheita.

O Sistema de Produção Clearfield®, da BASF Soluções para Agricultura, por exemplo, tem sido uma opção vencedora para os rizicultores desde 2003. A tecnologia inovadora proporciona à cultura do arroz tolerância a herbicidas altamente efetivos no controle do arroz-vermelho e de outras daninhas que competem por água e nutrientes, derrubando a produtividade da lavoura em até 30% -- e, em casos extremos, chegando ao ponto de inviabilizar a colheita.

Entre as soluções que fazem parte desse pacote, o .herbicida Kifix® – de amplo espectro de controle e efeito residual no solo – controla baixas e médias infestações no pós-emergência.

A tecnologia Clearfield® é utilizada no controle de plantas daninhas em aproximadamente 80% das áreas de arroz irrigado do Brasil. “A BASF tem a inovação no seu DNA e o agricultor no centro de suas decisões, por isso sempre investimos no desenvolvimento de soluções tecnológicas para a rizicultura”, comenta Luciano Pizutti, gerente de Marketing de Proteção de Cultivos da companhia. 

O recente lançamento de sua primeira marca de sementes de arroz, Lidero™, é exemplo dessa preocupação com a cultura e com o cliente. Os híbridos fazem parte do Sistema de Produção Clearfield® e trazem uma série de vantagens para o rizicultor, iniciando pela produtividade: ganhos de até 25% na comparação com variedades convencionais. 

Os testes em 100 áreas comerciais, trouxeram um resultado excepcional de rendimento de 30 sacas a mais por hectare, com qualidade muito boa.

José Mauro Costa Rodrigues Guma

Gerente de Negócios de Semente, Arroz e Trigo da BASF

Esse conjunto de soluções integradas ajuda o produtor de arroz a ter mais produtividade, com custos mais baixos de produção. Confira, agora, os passos ideais para vencer o arroz-daninho: 

1.   Escolha sempre sementes certificadas, pois são isentas de grãos de arroz-daninho e de outras invasoras, têm bom poder germinativo e melhor estande com sanidade e vigor.

2.   Use produtos registrados e recomendados para o sistema de produção, na dose correta e conforme as recomendações técnicas para a máxima eficiência de controle das plantas daninhas. Atenção para a tecnologia de aplicação.

3.   Irrigue no estádio recomendado, quando as plantas de arroz estiverem com 3 a 4 folhas e, após a segunda aplicação do herbicida, estabelecer a lâmina de água permanente em até 3 dias.

4.   Controlar os escapes de plantas-daninhas com catação manual (roguing), barra química e destruição da resteva logo após a colheita. IMPORTANTE: Não cultivar a soca do arroz com as variedades Clearfield® (SC).

5.   Rotacionar o Sistema de Produção Clearfield® com o sistema convencional, quando possível, sempre lembrando de não plantar 100% da área com a tecnologia Clearfield®. É importante utilizar o sistema no máximo por 2 safras consecutivas na mesma área, após rotacionar com outras culturas (integração lavoura-pecuária, soja RR e cultivares de arroz não Clearfield®).

6.   Limpar máquinas, canais, drenos e estradas, fazendo o controle mecânico ou químico.

7.   Consultar sempre a assistência técnica

Para saber mais sobre todas as soluções da BASF para o arroz, acesse: Cultura do Arroz | Proteção de Sementes e Cultivo na Plantação e Lavoura | BASF

ATENÇÃO:

Uso exclusivamente agrícola. Aplique somente as doses recomendadas. Descarte corretamente as embalagens e restos de produtos. Incluir outros métodos de controle dentro do programa do Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponíveis e apropriados. Registro MAPA Kifix® nº 007907.

Leia mais:

Conheça as soluções da BASF para este cultivo: