Brasil
Agricultura

Como o manejo influencia na qualidade de fibra do algodão?

A cultura do algodão, taxonomicamente identificado como Gossypium hirsuntum L. var. hirsuntum é a planta fibrosa mais cultivada no mundo, consequentemente a maior fonte natural de fibra com características desejáveis a indústria têxtil.

A fibra de coloração esbranquiçada é gerada ao redor das sementes dentro das “maças”, termo utilizado para definir os frutos do algodoeiro em um processo que pode durar até 55 dias para a plena maturação, após esse processo temos a abertura das cápsulas e a exposição das fibras, formando estruturas denominadas “capulhos”.

Todas as características de qualidade da fibra de algodão como: comprimento, resistência, micronaire, uniformidade, índice de fibras curtas e coloração, são atributos intrínsecos da genética.

 

“Mesmo assim, o manejo fitossanitário interfere diretamente na qualidade do produto final." 

 

O ataque de pragas, como por exemplo o Bicudo (Anthonomus grandis) e lagartas, como a Spodoptera frugiperda podem causar danos as “maças”, promovendo a infiltração de umidade e também dano direto a fibra, principalmente durante a maturação. 

armadilha-para-bicudo-do-algodoeiro.jpg
Armadilha de feromônio contendo adultos do bicudo do algodoeiro

O ataque intenso de pragas sugadoras como Mosca Branca (Bemisia tabaci), Pulgão (Aphis gossypii) reduzem a nutrição dos frutos, já que estas pragas se alimentam da seiva elaborada.

A presença destas pragas nas folhas do algodão colabora para uma redução da taxa fotossintética, impactando na produção de fotoassimilados, direcionados para as estruturas reprodutivas.

As doenças, causadas na sua maioria por fungos, também comprometem exponencialmente a qualidade das fibras, pelo fato de diminuírem a área foliar fotossintéticamente ativa na planta e, em alguns casos, são responsáveis por uma desfolha precoce.

Importante ressaltar que as duas principais doenças do algodão são a Ramulária e Mancha Alvo, causadas pelos fungos Ramulariopsis pseudoglycines e Corynespora cassiicola respectivamente.

A nutrição das plantas do algodoeiro, também tem grande impacto nos aspectos quantitativos e qualitativos do produto final, já que esta planta é extremamente exigente no fator nutricional e possui hábito de crescimento indeterminado, isto é, a planta continua crescendo, mesmo após o surgimento das primeiras estruturas reprodutivas.

Desta forma, torna-se estratégico a utilização do regulador de crescimento para garantir a gestão do equilíbrio fisiológico entre vegetativo e reprodutivo, assim teremos a melhor distribuição de energia entre planta e fruto.

O manejo eficiente no cultivo do algodão garante que o germoplasma expresse todo o seu potencial produtivo, resultando em altas produtividades e excelência na qualidade de fibras.

O manejo é um processo que exige tomadas de decisões particulares praticamente todos os dias durante o ciclo da cultura, com impactos visíveis, por esta razão, geram um encantamento único.

Continue lendo sobre o Manejo estratégico de pragas e doenças na cultura do Algodão.

Leia mais:

Conheça as soluções da BASF para este cultivo: