Brasil
Agricultura

Aumento da incidência da mancha púrpura na soja eleva contaminação dos grãos da cultura 

A mancha púrpura na soja, também conhecida por crestamento foliar de Cercospora, é uma doença de final de ciclo (DFC) na cultura e é causada pelo fungo Cercospora kikuchii.

Trata-se de uma doença bastante comum nas lavouras de soja do país, porém sua emergência nas plantações acontece em maior intensidade e severidade em áreas de clima quente, chuvoso e de alta umidade. 

 

Sua disseminação acontece em lotes de sementes, ou seja, por meio de sementes de cultivares contaminadas. No entanto, segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o fungo, quando em contato com a cultivar, não causa danos à qualidade da semente. 

O patógeno da mancha púrpura na soja sobrevive em restos culturais e pode ser introduzido na cultura, também, por meio de restos culturais da entressafra.

Aumento dos ataques à cultura

Apesar de seu baixo poder destrutivo, sua emergência nas lavouras vem aumentando nas últimas safras, chegando a atingir até 30% das sementes de uma plantação, situação que preocupa os sojicultores. 

A identificação em maior quantidade tem motivo. Depois de muitos anos sob tratamento de produtos químicos, o patógeno criou resistência a alguns fungicidas do mercado. Ou seja, seu combate ficou muito mais difícil.

Sintomas da mancha púrpura na soja

A doença de final de ciclo se apresenta com uma característica bem específica. Quando contaminadas, as folhas da soja passam a apresentar pequenas pontuações na coloração avermelhada. 

Depois, conforme sua contaminação vai avançando, a mancha púrpura na soja ataca o restante da planta, evoluindo pelas hastes, pecíolos e vagens, chegando até os grãos, que passam a ter manchas arroxeadas. 

Quando em estágio mais severo, provoca a desfolha da planta e reduz a qualidade produtiva do grão, o que impacta diretamente nos rendimentos finais do sojicultor. 

Como fazer o controle da doença

A forma mais eficiente para evitar a mancha púrpura na soja é utilizar sementes sadias (certificadas) no plantio e, além disso, realizar o tratamento delas com fungicidas, mesmo que sejam cultivares de procedência. 

“O controle deve ser feito utilizando semente livre do patógeno, tratamento de semente e aplicações na parte aérea, utilizando fungicidas”, reforça a Embrapa.  

Fungicida para mancha púrpura

Para que o tratamento químico tenha o efeito esperado, produtores precisam fazer a aplicação aérea dos fungicidas nas lavouras. Esses produtos devem pertencer ao grupos dos benzimidazóis, triazóis e estrobilurinas.

A eficiência do fungicida é ampliada quando ele é utilizado em conjunto com as outras estratégias de manejo. 

Além disso, os produtos químicos só farão efeito até que o fungo não se torne resistente a eles, ou seja, é preciso um constante monitoramento de sua eficiência nas plantas de soja. 

Leia mais:

Conheça as soluções da BASF para este cultivo: