Brasil
Agricultura

Irrigação por gotejamento na cultura de café

A irrigação do cafeeiro contribui para o aumento quantitativo e qualitativo da produção de café. 

Diante da importância para a alta produtividade e, portanto, para a rentabilidade da lavoura, a implantação de sistemas de irrigação é cada vez mais comum nas regiões produtoras de café no Brasil, em especial nas localizadas em áreas com temperaturas mais elevadas e com longos períodos de estiagem. 

 

Sendo assim, há no mercado uma série de métodos para irrigação disponíveis. Cada um com características e mecanismos de funcionamento específicos, que se adequam para as diversas áreas de plantio. 

Entre eles, o sistema por gotejamento é um dos mais utilizados. Com um mecanismo de irrigação localizada e com características que possibilitam uma irrigação eficiente e econômica, promove economia de água e energia, além de garantir o abastecimento de água diretamente na raiz da planta. 


Continue a leitura e fique por dentro de como funciona esse sistema de irrigação e para quais áreas é mais indicado. 

O que é irrigação por gotejamento

A irrigação pelo sistema de gotejamento na cultura do café é uma maneira eficaz de manter a qualidade dos grãos e ainda economizar água e energia. 
Com irrigação somente nas raízes do cafeeiro, o sistema conta com gotejadores de pequena vazão (1 a 10 litros/hora), que podem manter o solo próximo da planta úmido durante todo o dia. 

No sistema de gotejamento a água é captada do reservatório da propriedade e, logo após, filtrada. Só então, pressurizada por bombeamento até os gotejadores. 


De acordo com um estudo feito pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (Esalq -USP), os principais benefícios desse sistema são: 

  • Irrigação uniforme de água em mais de 90% da plantação;

  • Aplicação eficaz de nutrientes, fertilizantes e outros produtos pelas mangueiras; 

  • Sistema totalmente automatizado.  



A irrigação por gotejamento pode, no entanto, trazer algumas desvantagens em relação aos outros sistemas disponíveis no mercado: 

  • Possui custos de implantação e manutenção bastante elevados;

  • Seus emissores (ponteiras) podem ser facilmente entupidos se manejados incorretamente, o que inclui o uso de água não filtrada, por exemplo;

  • Suas mangueiras podem ser cortadas por enxadas ou animais roedores, uma vez que ficam abaixo da terra. 

 

“Alguns produtores adotam a técnica de enterrar os emissores, ação que deve ser cuidadosamente planejada, pois a colocação de gotejadores muito distantes de onde concentram as raízes pode provocar reduções expressivas ao desenvolvimento vegetativo e à produtividade do cafeeiro. Também requer a aplicação periódica de produtos capazes de evitar a intrusão de raízes nos gotejadores”, orientam os pesquisadores da Esalq - USP.

Qual a importância do sistema nos cafezais

A irrigação por gotejamento favorece o potencial produtivo das plantas de café. Como consequência, ajuda a diminuir os custos através da elevação da produtividade média. 

Na prática, o sistema supre a falta de chuvas, condição bastante importante quando leva-se em conta que muitas regiões cafeeiras do país costumam registrar longos períodos de estresse hídrico e, aliado a isso, altas temperaturas. 

 

Levando em conta que a água é essencial para o bom desenvolvimento do café, em especial das mudas recém-plantadas, contar com um sistema de irrigação por gotejamento é a garantia que o produtor tem de que a água chegará até os cafeeiros na quantidade e no tempo ideal. 

Além disso, o sistema por gotejamento possibilita que regiões com baixa pressão ou difícil acesso de água consigam ser irrigadas. Com isso, produtores podem implantar lavouras em áreas que, de outra forma, não seriam propícias ao cultivo.

Diferenciais do sistema em relação aos outros existentes

Por irrigar diretamente as raízes dos cafeeiros, o sistema por gotejamento possibilita a formação igualitária dos grãos de café, já que consegue aplicar os produtos necessários à planta de maneira parcelada e igual pela própria água irrigada. 

Essa característica é um diferencial em relação aos outros sistemas de irrigação existentes no mercado. Isso porque o gotejamento é mais preciso, diferente dos outros métodos que tem uma irrigação mais dispersa.  

Quem pode investir no sistema por gotejamento 

Assim como qualquer outro método de irrigação, a implantação do sistema por gotejamento exige uma análise prévia por parte do produtor. Isso é, é preciso avaliar critérios como capacidade hídrica do local, estrutura do terreno, qualidade da água e valores disponíveis para o investimento, por exemplo. 

 

Porém, por ser um sistema automatizado, composto por mangueiras (que chegam em qualquer lugar), trata-se de um método universal. Nesse caso, o investimento financeiro, bem maior que nos outros sistemas existentes no mercado, é o que geralmente mais pesa na hora da escolha.

Leia mais:

Conheça as soluções da BASF para este cultivo: