Brasil
Agricultura

Lagarta-militar no algodão: como identificar e combater essa praga

As lavouras de algodão dividem com os milharais a posição de alvo principal da lagarta (Spodoptera frugiperda). No entanto, pela alta adaptabilidade, a praga também já aparece em outras culturas, como a soja e o sorgo. 

O inseto tem até 50 mm de comprimento e ganhou o nome de lagarta-militar (no milho é chamada de lagarta-do-cartucho) por  sua coloração, que varia entre o cinza-escuro e o marrom, com uma faixa dorsal que apresenta pontos pretos (pináculas) na base das cerdas. Quando adulta, a mariposa mede aproximadamente 40 mm de envergadura, tem asas anteriores de cor marrom-escura e as posteriores branco-acinzentadas. 

A lagarta-militar é uma praga voraz, bastante agressiva, que ataca as plantas do algodoeiro principalmente da parte mediana até o ponteiro. Em situações mais graves, os danos vão desde a formação dos botões florais até as “maçãs”. 

No caso de infestações intensas, o inseto ataca até mesmo as plantas pequenas, rente ao solo, provocando falhas nos estandes. Esse modo de ação é parecido com o da lagarta-rosca (Agrotis ipsilon). O impacto negativo na produtividade e na qualidade da plantação e na lucratividade do agricultor é proporcional ao índice de ocorrência da praga na lavoura.

O controle dessa lagarta é feito, basicamente, por meio da pulverização de inseticidas químicos e do uso de cultivares transgênicas. O manejo na etapa pré-plantio abrange o tratamento de sementes ou do sulco onde será feita a semeadura e manejo na entre safra. 

O Manejo Integrado de Pragas (MIP) é outra ferramenta que o agricultor pode utilizar para aumentar a eficiência do controle do inseto com menor uso de defensivos. 

De qualquer maneira, quando for necessário aplicar inseticidas, é importante que se faça uma rotação de inseticidas com modo de ação distinto, com diferentes grupos químicos, para minimizar casos de resistência ao produto ou a um grupo químico específico de inseticidas.  Busque sempre a orientação do engenheiro agrônomo de sua confiança.

Também é recomendável dar preferência a produtos seletivos aos inimigos naturais da lagarta-militar. E há também a possibilidade de combater a praga por meio do controle biológico, com o uso da vespinha Trichogramma Spp., por exemplo, que parasita os ovos da lagarta.

Leia mais:

Conheça as soluções da BASF para este cultivo: