Usamos cookies de navegação neste site para garantir uma experiência mais personalizada e responsiva a você. Ao fazer uso, você também concorda com nossa Política de Privacidade de Dados. Saiba mais como cookies são utilizados ou como bloqueá-los ou deletá-los.

Brasil
Agricultura

Qual é a influência das chuvas na qualidade de fibras do algodão?

Confira como as chuvas podem influenciar nos componentes de produção da cultura do algodão, especialmente aquelas relacionadas a qualidade de fibras

Juliana Chagas - ESALQ-USP

600-02886299
© Koolstock
Model Release: No
Property Release: No

Cotton Crop, Cotton Plant Close-up, Australia

A escassez ou excesso de chuvas interfere diretamente na quantidade de água armazenada no solo, especialmente, em áreas agrícolas onde predominam os cultivos de sequeiro. Além disso, a variação no volume de chuvas pode levar ao estresse hídrico nas plantas por déficit (escassez) ou o excesso de água no solo e condicionar alterações nos processos fisiológicos e, consequentemente, na diminuição do rendimento da cultura do algodão.

O excesso de chuvas torna a atmosfera mais úmida. Esta condição durante a frutificação pode favorecer o microclima para a ocorrência de doenças e, consequentemente, podridão dos frutos diminuindo a produtividade (Figura 1). Quando os frutos estão abertos (capulhos), o excesso de chuvas deteriora a fibra tornando-as cinza e mais susceptível a ruptura durante o processo de beneficiamento do algodão. Essa coloração causada por fungos que atacam a superfície do algodão, deprecia o produto torna-os impróprios para a comercialização.

podridao-dos-frutos-algodao.png
Figura 1. Podridão de frutos no terço inferior na cultura do algodoeiro. Fonte: AMPASUL

Devido a grande importância do efeito da chuva sobre a qualidade da fibra e a produtividade de algodão, um estudo foi desenvolvido pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (ESALQ/USP), em 2015, neste sentido para o estado de Mato Grosso. Neste estudo, o efeito da chuva na cultura do algodoeiro foi avaliado em duas abordagens: 1) chuva acumulada; e 2) frequência relativa de dias com chuva superior a 1 mm; sobre os seguintes componentes de produção: produtividade do algodão em caroço, rendimento de fibras, índice de micronaire, comprimento, resistência e maturação de fibras. Todos os componentes de produção, exceto a produtividade, estão diretamente relacionados a qualidade da fibras do algodão.

1) Chuva acumulada

Considerando todo o ciclo do algodoeiro, a chuva acumulada apresentou correlação linear positiva com o índice de micronaire e a maturação de fibras, correlação linear negativa com o comprimento de fibras e correlação quadrática positiva com a produtividade do algodão em caroço, neste último caso, para se obter a produtividade máxima, a chuva acumulada deveria ser de, aproximadamente, 1334,25 mm durante o ciclo da cultura.

Maiores volumes de chuva acumulados tiveram maior influência sobre a fase fenológica que vai desde a primeira flor ao primeiro capulho mais 21 dias, sendo uma interferência positiva para produtividade do algodão em caroço, rendimento de fibras, índice de micronaire e maturação de fibras, e uma interferência negativa para resistência de fibras.

2) Frequência relativa de dias com chuva superior a 1 mm

A frequência relativa de chuva durante o ciclo do algodoeiro apresentou correlação linear positiva com o índice de micronaire e a maturação de fibras, e correlação quadrática positiva com a produtividade do algodão em caroço, onde para se obter a produtividade máxima, a frequência relativa de dias com chuva superior a 1 mm deveria ser de, aproximadamente, 57% durante o ciclo da cultura.

As maiores frequências relativas de chuva tiveram maior influência sobre a fase fenológica que vai desde a primeira flor ao primeiro capulho mais 21 dias, sendo uma interferência positiva para produtividade do algodão em caroço, índice de micronaire e maturação das fibras.

Dessa forma produtor fique atento aos volumes de chuva durante o ciclo de cultivo do algodoeiro. No caso das fibras, após a abertura dos frutos até a colheita seria desejável que não chovesse ou chovesse pouco para preservar a qualidade das fibras, pois estas ao ser atingidas por chuvas tendem a perder a reflectância e o brilho, e assim o produto é depreciado, perdendo valor agregado.

Você quer saber mais sobre a influência do clima na cultura do algodão? Para ficar por dentro deste assunto, continue acompanhando as publicações em nosso blog.

Quer receber outros conteúdos, estudos exclusivos, ebooks e convites para eventos?

Leia mais:

Conheça as soluções da BASF para este cultivo:

600-02886299
© Koolstock
Model Release: No
Property Release: No

Cotton Crop, Cotton Plant Close-up, Australia

Algodão

O complexo de Lagartas e a Ramulária podem prejudicar a produtividade do algodoeiro. Por isso, sempre utilize soluções que assegurem a qualidade do cultivo.
BASF-Algodao-Sementes-FiberMax-Logo .png

Sementes de algodão FiberMax®️ | BASF Agro

Sementes de Algodão FiberMax® da BASF tem tecnologia de ponta com alto rendimento e fibra excepcional, encontre a variedade perfeita para seu negócio.
BR-Agroclima-PRO.jpg

Agroclima PRO BASF

Informações de tempo e clima personalizadas de acordo com a sua região! Sua lavoura com mais qualidade e produtividade com o agroclima PRO BASF.